Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

Governo volta a reunir-se com camionistas na segunda-feira e acredita em acordo

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 03 mai (Lusa) -- O Governo diz acreditar num acordo com os camionistas, com quem se volta a reunir na segunda-feira, e acrescenta que, das duas associações do setor, chegou a um acordo de princípio com uma.

Segundo o secretário de Estado das Infraestruturas, Guilherme d'Oliveira Martins, o acordo de princípio com a Associação Nacional de Transportes Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM) contempla a criação de uma linha de crédito para os transportadores, "que permite uma antecipação no pagamento das faturas".

O acordo contempla ainda a subida do limiar do gasóleo profissional dos 30 mil para os 35 mil litros, "uma medida que tem sido reivindicada" pela classe, disse o secretário de Estado, no âmbito de uma declaração que fez no Ministério do Planeamento e das Infraestruturas a propósito de uma greve de ferroviários marcada para segunda-feira.

A Lusa tentou, sem sucesso, obter declarações da ANTRAM.

Já hoje o presidente da Associação Nacional das Transportadoras Portuguesas (ANTP), Márcio Lopes, tinha dito à Lusa que os associados "renunciam" à proposta apresentada pelo Governo, classificando-a como "vaga" e sem "cabimento", não descartando a possibilidade de continuar a luta.

"Os associados, [que estiveram reunidos este sábado], na sua totalidade, renunciaram a proposta do Governo, que não tem cabimento. O que [o executivo] pondera fazer é vago, pois não apresenta medidas concretas para o setor", disse Márcio Lopes, em declarações à Lusa.

"O Governo tem até dia 15 para fazer a sua parte, depois vamos ver", disse.

Em 28 de maio, os camionistas iniciaram uma ação de protesto que incluiu a paralisação da circulação e marchas lentas, que, no entanto, não teve muita adesão.

Nas palavras do secretário de Estado, em conjunto com a ANTRAM e com a ANTP vai ser possível chegar a uma solução.

"Acredito que dentro dos constrangimentos orçamentais conseguiremos chegar a uma solução", disse.

FP (PE) // MCL

Lusa/fim

+ notícias: Política

CDU/Porto defende "medidas de emergência" para realojar famílias despejadas

A CDU/Porto defendeu este domingo a criação de “medidas de emergência” para realojar moradores despejados, desafiando o presidente da Câmara, Rui Moreira, a ser agora tão proativo como já foi em relação a outras matérias, como o Infarmed.

António Costa diz que é preciso que o país se habitue a não aguardar por tragédias

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou este domingo que o país tem de se habituar "a não aguardar pelas tragédias" para dar importância àquilo que é estrutural, elegendo a floresta e o interior como prioridades.

Atualizado 18-06-2018 13:54

Pedrógão Grande: Presidente da Repíblica diz que responsáveis políticos estão a fazer o que podem mas é preciso mais

O Presidente da República afirmou este domingo que os responsáveis políticos estão "a fazer o que podem" para combater os problemas evidenciados pelos fogos, mas sublinha que é preciso mais, para garantir há um empenho duradouro, prolongado e persistente.

Atualizado 18-06-2018 13:50

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS

N'Agenda

IV Festival de Guitarra de Amarante