Info

Brexit: Londres admite permanecer na união aduaneira até 2021

| Economia
Porto Canal com Lusa

Londres, 17 mai (Lusa) -- O Governo britânico pretende prolongar por algum tempo a permanência na união aduaneira europeia após o período de transição pós-'Brexit', por admitir que os acordos comerciais não estejam concluídos a tempo, noticiou hoje a imprensa britânica.

Segundo o jornal The Telegraph, os principais ministros do executivo de Theresa May concordaram esta semana que o Reino Unido vai continuar a seguir as regras da União Europeia (UE) por um período que pode ir até dois anos depois do fim da fase de transição, em dezembro de 2020.

O Reino Unido deve sair da UE em março de 2019, mantendo-se na união aduaneira durante o período de transição, o tempo necessário para finalizar um novo acordo de parceria.

A incerteza acentua-se quanto à data da aplicação de um novo sistema alfandegário, uma vez que o governo ainda não anunciou o que vai propor a Bruxelas.

A ideia de prolongar o período de transição foi evocada várias vezes nas últimas semanas, designadamente pelo ministro das Empresas, Energia e Estratégia Industrial, Greg Clark.

Theresa May repetiu hoje, à chegada à cimeira europeia a decorrer na Bulgária, que "o Reino Unido vai sair da união aduaneira", mas não apontou qualquer data.

A hipótese de prolongar a permanência na união aduaneira é rejeitada pelos partidários do chamado 'hard Brexit', uma rutura total com todos mecanismos europeus.

O Reino Unido prometeu reduzir o máximo possível os controlos fronteiriços sobre mercadorias em trânsito de e para a UE e evitar uma fronteira rígida entre a Irlanda do Norte e a República da Irlanda, membro da UE.

Simultaneamente, Londres quer assinar acordos comerciais com países terceiros.

MDR // ANP.

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Lucro da Ryanair desce 7%, em seis meses, para 1,2 mil milhões de euros

O lucro da Ryanair desceu 7% para 1,2 mil milhões de euros, em seis meses até 30 de setembro, informou esta segunda-feira a transportadora aérea, que registou, porém, a subida de receitas e de passageiros.

Registos de alojamento local aumentam de 14 mil para 77 mil em quatro anos

O alojamento local em Portugal cresceu cinco vezes nos últimos quatro anos, aumentando de 14 mil registos em 2014 para mais de 77 de mil estabelecimentos este ano, segundo o Registo Nacional de Estabelecimentos de Alojamento Local (RNAL).

Portugal importou mais de 300 mil toneladas de peixe este ano e exportou 153 mil toneladas

Portugal já importou mais de 300 mil toneladas de peixe este ano, o equivalente a 1.295.160 euros, maioritariamente oriundo de Espanha, Suécia, Países Baixos e China, segundo os dados compilados pelo Observatório do Mercado Europeu da Pesca e da Aquicultura.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.