Info

Brexit: Londres admite permanecer na união aduaneira até 2021

| Economia
Porto Canal com Lusa

Londres, 17 mai (Lusa) -- O Governo britânico pretende prolongar por algum tempo a permanência na união aduaneira europeia após o período de transição pós-'Brexit', por admitir que os acordos comerciais não estejam concluídos a tempo, noticiou hoje a imprensa britânica.

Segundo o jornal The Telegraph, os principais ministros do executivo de Theresa May concordaram esta semana que o Reino Unido vai continuar a seguir as regras da União Europeia (UE) por um período que pode ir até dois anos depois do fim da fase de transição, em dezembro de 2020.

O Reino Unido deve sair da UE em março de 2019, mantendo-se na união aduaneira durante o período de transição, o tempo necessário para finalizar um novo acordo de parceria.

A incerteza acentua-se quanto à data da aplicação de um novo sistema alfandegário, uma vez que o governo ainda não anunciou o que vai propor a Bruxelas.

A ideia de prolongar o período de transição foi evocada várias vezes nas últimas semanas, designadamente pelo ministro das Empresas, Energia e Estratégia Industrial, Greg Clark.

Theresa May repetiu hoje, à chegada à cimeira europeia a decorrer na Bulgária, que "o Reino Unido vai sair da união aduaneira", mas não apontou qualquer data.

A hipótese de prolongar a permanência na união aduaneira é rejeitada pelos partidários do chamado 'hard Brexit', uma rutura total com todos mecanismos europeus.

O Reino Unido prometeu reduzir o máximo possível os controlos fronteiriços sobre mercadorias em trânsito de e para a UE e evitar uma fronteira rígida entre a Irlanda do Norte e a República da Irlanda, membro da UE.

Simultaneamente, Londres quer assinar acordos comerciais com países terceiros.

MDR // ANP.

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Contribuintes que ganham mais de mil euros continuam a reter IRS a mais

A atualização das tabelas de retenção para 2019 continua a não refletir integralmente o alargamento dos escalões do IRS de 2018 para a generalidade dos trabalhadores e pensionistas com rendimento a partir de mil euros, segundo os cálculos da PwC.

Retenção na fonte de salários médios ainda não reflete totalmente mudança no IRS

As tabelas de retenção na fonte para 2019 vão aumentar o rendimento líquido de maioria dos contribuintes, mas não refletem ainda integralmente o efeito da reorganização dos escalões do IRS e descida de taxas observado em 2018, segundo a consultora Deloitte.

Preço das casas sobe 4,3% na zona euro no 3.º trimestre e em Portugal quase o dobro

O preço homólogo das casas aumentou 4,3% tanto na zona euro quanto na União Europeia (UE) no terceiro trimestre de 2018, com Portugal a registar uma subida de quase o dobro da média (8,5%), segundo o Eurostat.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.