Jornal Diário Jornal das 13

Concursos de obras públicas com a pior queda desde setembro de 2016

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 17 mai (Lusa) -- Os concursos de obras públicas no primeiro trimestre foram os mais baixos desde o terceiro trimestre de 2016, caindo 36% face a igual trimestre de 2017, para 477 milhões de euros, segundo a associação dos industriais da construção.

"Efetivamente, apesar do lançamento, em março, de dois concursos no âmbito da construção da linha ferroviária entre Évora e Elvas, num total de 170 milhões de euros, a que se soma, ainda, o concurso associado a trabalhos e reparação e conservação da Ponte 25 de Abril, com um preço base de 18 milhões de euros, o volume de empreitadas de obras públicas deste trimestre é o pior, desde o terceiro trimestre de 2016", afirma a Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas(AICCOPN), em comunicado hoje divulgado.

Mas não foi só nos concursos de obras públicas promovidos naqueles três meses que se nota a quebra, também os contratos celebrados no âmbito de concursos públicos - e reportados no Observatório das Obras Públicas - caíram 7% face a igual período do ano passado, ascendendo a 243 milhões de euros.

Mas a quebra foi bastante menor, de 1%, nos contratos de obras públicas celebrados na modalidade de ajuste direto, que somaram 137 milhões de euros.

No conjunto, o volume total de contratos celebrados no primeiro trimestre foi de 397 milhões de euros, menos 7% em termos homólogos, conclui a associação.

"Quer ao nível do lançamento de concursos públicos, quer ao nível do volume de contratos celebrados, o primeiro trimestre de 2018 registou uma evolução significativamente negativa, em oposição ao que se verificava, de forma relativamente consistente, desde 2016", lamenta a associação naquele comunicado.

VP

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Uma em cada cinco livrarias da base de dados do Ministério da Cultura já não existe

Uma em cada cinco livrarias da base de dados do Ministério da Cultura sobre a rede livreira nacional já não existe e, das restantes, a tutela só tem conhecimento de um terço que cumpre os requisitos para ser livraria.

Desconvocada greve dos trabalhadores que fazem manutenção dos Alfa Pendular

A greve dos trabalhadores da Unidade de Manutenção de Alta Velocidade (UMAV) da Empresa de Manutenção de Equipamento Ferroviário (EMEF) ao trabalho extraordinário, que começava este sábado, foi desconvocada após o anúncio de recrutamento de nove eletromecânicos.

Não param de aumentar os registos de alojamento local

Tem aumentado exponencialmente o número de registos de alojamento local em Portugal. Os proprietários estão a aproveitar enquanto a nova lei não entra em vigor. Com as novas regras, as autarquias passam a ter mais poderes e podem inclusive criar zonas nas cidades sem este tipo de alojamento.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.