Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

Jornalistas colombianos lançam plataforma digital para mapear desaparecimentos forçados nos rios

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Bogotá, 17 mai (Lusa) - Jornalistas colombianos apresentaram, na quarta-feira, uma plataforma digital para mapear as vítimas de desaparecimento forçado nos rios do país, durante quase meio século de conflito armado.

"O objetivo é que todas as vítimas e familiares partilhem imagens, histórias ou quaisquer dados que possam servir como parte de uma investigação", explicou o coordenador do projeto, Oscar Parra.

A ferramenta digital a que mais de 20 jornalistas deram o nome de "Rios de vida e morte" permite aos utilizadores analisarem, ao longo de um mapa com 44 rios, histórias e informações sobre os desaparecidos.

Desta forma, será possível "chamar a atenção das autoridades e do público em geral sobre a importância de tentar encontrar os desaparecidos [nesses rios], para dignificar as vítimas e as famílias", explicou.

A diretora da Associação de Familiares de Desaparecidos (Asfaddes), Gloria Luz Gómez, elogiou o projeto no sentido em que "a memória é a pedra angular onde o direito à verdade e o direito à justiça podem descansar e se consolidar", razão pela qual considera que "reconstruir é vital".

No ano passado, as Nações Unidas assinalaram os 10 anos da adoção da Convenção Internacional para a Proteção de Todas as Pessoas de Desaparecimento Forçado.

À margem do evento, o secretário-geral da ONU, António Guterres, disse que "embora a Convenção tenha raízes nas horríveis práticas das ditaduras latinoamericanas nos anos de 1970 e 80, infelizmente, permanece relevante atualmente", de acordo com um comunicado lido por uma porta-voz.

FST // EJ

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Bomba em restaurante faz pelo menos 15 feridos em Toronto

Pelo menos 15 pesoas ficaram feridas, três das quais com gravidade, depois de dois desconhecidos terem deflagrado uma bomba dentro de um restaurante indiano nas imediações de Toronto, no Canadá, informaram hoje as autoridades.

Um dos últimos tabus da guerra colonial passa por "Furriel Não É Nome de Pai"

Lisboa, 26 mai (Lusa) -- O sentimento é de puro abandono e nem mesmo a meia idade os impede de chorar por um pai anónimo, que tanto se pode chamar "furriel" com um qualquer apelido. Na Guiné-Bissau, são considerados "restos de tuga".

Bienal de Arquitetura de Veneza abre hoje ao público e anuncia premiados

Lisboa, 26 mai (Lusa) - A 16.ª Exposição Internacional de Arquitetura da Bienal de Veneza abre hoje ao público, na cidade italiana, com a participação de Portugal através da exposição "Public Without Rethoric", onde serão anunciados os prémios pela organização.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.