Info

Euro recua para 1,1815 e atinge mínimos de dezembro

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 16 mai (Lusa) - O euro recuou hoje face ao dólar, atingindo mínimos desde dezembro, influenciado pela crise política em Itália e pelas incertezas relativas à Coreia do Norte, segundo os analistas.

Às 18:30 (hora de Lisboa), o euro negociava a 1,1815 dólares, quando na terça-feira, sensivelmente à mesma hora seguia a 1,1855 dólares.

O Banco Central Europeu (BCE) fixou hoje a taxa de referência do câmbio nos 1,1784 dólares.

Em Itália, a terceira economia da zona euro, o Movimento 5 Estrelas (M5S) e a Liga Norte negociaram um programa de governo que contempla aumentos da despesa, reduções de impostos e a possibilidade de saída do euro, segundo os media, refere a Efe.

A Coreia do Norte anunciou hoje que está a pensar cancelar a cimeira entre Donald Trump e Kim Jong-un, o que agitou os mercados.

Divisas..........hoje.................terça-feira

Euro/dólar......1,1815.................... 1,1855

Euro/libra......0,87518.................. 0,87751

Euro/iene.......130,13.................... 130,82

Dólar/iene......110,14.................... 110,35

ALU // MSF

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Contribuintes que ganham mais de mil euros continuam a reter IRS a mais

A atualização das tabelas de retenção para 2019 continua a não refletir integralmente o alargamento dos escalões do IRS de 2018 para a generalidade dos trabalhadores e pensionistas com rendimento a partir de mil euros, segundo os cálculos da PwC.

Retenção na fonte de salários médios ainda não reflete totalmente mudança no IRS

As tabelas de retenção na fonte para 2019 vão aumentar o rendimento líquido de maioria dos contribuintes, mas não refletem ainda integralmente o efeito da reorganização dos escalões do IRS e descida de taxas observado em 2018, segundo a consultora Deloitte.

Preço das casas sobe 4,3% na zona euro no 3.º trimestre e em Portugal quase o dobro

O preço homólogo das casas aumentou 4,3% tanto na zona euro quanto na União Europeia (UE) no terceiro trimestre de 2018, com Portugal a registar uma subida de quase o dobro da média (8,5%), segundo o Eurostat.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.