Info

Governo ainda não recebeu pedido da Arriva para comboio entre Porto e Corunha

Governo ainda não recebeu pedido da Arriva para comboio entre Porto e Corunha
| Política
Porto Canal com Lusa

O Governo disse esta quarta-feira não ter recebido “nenhum pedido” da Arriva, que pertence ao grupo alemão Deutshe Bahn, para uma ligação ferroviária entre Porto e Corunha, admitindo que a CP se “está a preparar” para essa nova oferta.

“Não temos nenhum pedido ainda da Arriva para essa intenção que terá sido anunciada de fazer serviço transfronteiriço” entre Portugal e Espanha, disse o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, que falava à margem da abertura da 20.ª edição da Feira Internacional de Construções e Obras Públicas (Tektónica), em Lisboa.

Ainda assim, de acordo com o governante, “a CP [Comboios de Portugal] há de estar a preparar-se, como estão as suas congéneres espanholas, para esse efeito”.

“E, portanto, estamos na fase de definição estratégica do que a CP fará e de como a CP se posicionará para o transporte de passageiros no contexto da liberalização”, acrescentou, ressalvando ser “prematuro fazer mais comentários a essa intenção da Arriva”.

No início de maio, o grupo Arriva, através da companhia Arriva Spain Rail, pediu à Comissão Nacional de Mercados e Concorrência espanhola autorização para operar numa nova linha entre as duas cidades.

Num percurso de 342 quilómetros, com uma duração prevista de duas horas e 46 minutos, estão apontadas sete paragens: Corunha, Santiago de Compostela, Pontevedra, Vigo Guixar, Valença do Minho, Nine e Porto-Campanhã.

Atualmente, apenas existe um comboio a ligar Porto e Vigo. Com partidas diárias de Porto Campanhã e Vigo, o comboio ‘Celta’, operado pela CP em conjunto com a Renfe, liga as cidades do Porto e Vigo, com paragens em Nine, Viana do Castelo e Valença.

O comboio ‘Celta’ iniciou a sua exploração comercial em julho de 2013, assegurando uma ligação rápida entre Vigo e Porto.

Com bilhete único com o preço de 14,75 euros, esta ligação veio permitir percorrer os 175 quilómetros que separam as cidades em duas horas e 15 minutos, quando anteriormente a ligação demorava mais de três horas.

Em Portugal, a Arriva, que pertence ao grupo alemão Deutshe Bahn, desenvolve a atividade de transporte regular de passageiros, com cerca de 190 concessões, operando mais de 200 linhas em 16 concelhos diferentes (Guimarães, Famalicão, Braga, Fafe, Póvoa de Lanhoso, Vieira do Minho, Barcelos, Santo Tirso, Trofa, Póvoa do Varzim, Vila do Conde, Maia, Matosinhos, Porto, Terras de Bouro e Vizela).

Ainda no âmbito da ferrovia, Pedro Marques apontou hoje investimentos que serão lançados ainda este trimestre, como a modernização da linha do Norte e a renovação de via na linha da Beira Alta.

“Estamos ainda a começar a intervir na linha de ligação de Elvas a Espanha, no corredor Sines-Madrid, e, portanto, as principais linhas ferroviárias do país ou estão a ser eletrificadas ou a sofrer renovações de via em partes importantes do seu traçado”, observou o governante, falando na criação de “milhares de empregos” e de “mais segurança” para os utilizadores.

Relativamente à CP, “nos próximos meses” será lançado um concurso para novo material circulante, adiantou.

A Tektónica é uma das maiores feiras internacionais na área da construção e das obras públicas em Portugal.

+ notícias: Política

Tancos: Ministério da Defesa investiga procedimento da PJ Militar

O Ministério da Defesa determinou a 04 de outubro a realização de uma “auditoria extraordinária aos procedimentos internos” da Polícia Judiciária Militar (PJM), na sequência da recuperação do material militar roubado dos paióis de Tancos no ano passado.

Câmara de Vila Real lança segunda-feira campanha sobre perigo na A24

A Câmara de Vila Real disse que vai colocar painéis nas entradas da Autoestrada 24 (A24) para alertar os automobilistas para os “perigos e falhas” da via, uma iniciativa apoiada pela Comunidade Intermunicipal do Douro (CIM Douro).

Tancos: Presidente da República garante desconhecer factos sobre reaparecimento das armas

O Presidente da República garantiu este sábado à Agência Lusa desconhecer os factos na base do desaparecimento e reaparecimento das armas de Tancos, recordando que tem insistido na exigência do esclarecimento de "toda a verdade, doa a quem doer".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.