Jornal Diário Jornal das 13

Lucro da Sonaecom sobe 11,3% para 5 ME no 1º trimestre

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 16 mai (Lusa) - O lucro da Sonaecom subiu 11,3% no primeiro trimestre, face a igual período de 2017, para cinco milhões de euros, anunciou hoje a empresa.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Sonaecom adianta que o volume de negócios atingiu os 36,6 milhões de euros, 1,3% acima do registado um ano antes e 6,2% mais face ao último trimestre de 2017, "com contributos positivos das áreas de tecnologia e media".

O resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) progrediu 17,6% para oito milhões de euros, "justificado essencialmente pela linha do Método de Equivalência Patrimonial (MEP), sendo esta influenciada pelo contributo da ZOPT que, por sua ves, depende do resultado líquido da NOS".

Os custos operacionais subiram 0,2% para 37 milhões de euros.

O investimento operacional (CAPEX) diminuiu para 1,6 milhões de euros, representando 4,4% do volume de negócios.

A área da tecnologia registou um volume de negócios de 33,3 milhões de euros, um aumento de 1%.

Nos media, ou seja, o jornal Público, a Sonaecom destaca "o desempenho positivo das receitas de publicidade 'online'" que "conjuntamente com um crescimento das receitas de subscrição 'online' e uma nova metodologia de registo de custos de distribuição traduziram-se num crescimento de 3,4% no total das receitas" face ao primeiro trimestre de 2017.

O EBITDA, "apesar de negativo, registou um crescimento de 12,2%", refere.

ALU // MSF

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Companhia aérea Ryanair anuncia lucros mas enfrenta greves em julho

A companhia área de voos económicos Ryanair anunciou esta segunda-feira um lucro líquido de 319 milhões de euros no primeiro trimestre fiscal (até 30 de junho), 20% menos do que em igual período do ano passado.

Portugal é dos países que mais recebe de Bruxelas com quase cinco mil ME de fundos em três anos

Portugal recebeu, nos últimos três anos, quase cinco mil milhões de euros da Comissão Europeia, ocupando o terceiro lugar entre os Estados-membros que mais fundos comunitários receberam, segundo dados divulgados por Bruxelas.

EasyJet vai contestar indemnizações por falta de combustível em Lisboa

A companhia aérea easyJet afirmou hoje que vai contestar as indemnizações que foi obrigada a pagar devido às perturbações pela falha no abastecimento de combustível no aeroporto de Lisboa, tentando "recuperar esses valores" junto das petrolíferas.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.