Info

Governo moçambicano continua a negociar pagamento das dívidas ocultas

| Economia
Porto Canal com Lusa

Maputo, 16 mai (Lusa) - O ministro da Economia de Moçambique, Adriano Maleiane, referiu hoje no parlamento que o país continua a tentar renegociar os encargos com as designadas "dívidas ocultas", visando tornar sustentáveis as suas obrigações com os credores.

Adriano Maleiane fez hoje um ponto de situação sobre o quadro da dívida pública de Moçambique, quando falava na Assembleia da República em resposta a perguntas dos deputados sobre o assunto.

"O Governo não está a pagar a dívida comercial e sindicada garantida, cujo 'stock' é de 1.859 milhões de dólares (1.575 milhões de euros), estando no momento em negociação a sua restruturação", declarou Maleiane.

A conclusão das negociações com os credores, prosseguiu, vai contribuir para melhorar a classificação da dívida e os seus rácios de sustentabilidade, declarou.

O ministro da Economia adiantou que o país tem estado a pagar regularmente o serviço da dívida externa multilateral e bilateral, bem como a doméstica, tendo desembolsado 217 milhões de dólares no ano passado (183 milhões de euros).

No total, a dívida pública externa de Moçambique ascendia a 10,6 mil milhões de dólares (8,9 mil milhões de euros) em 2017 e a dívida pública interna ultrapassou 100,5 mil milhões de meticais (1,4 mil milhões de euros), acrescentou.

A dívida comercial garantida pelo Estado em relação à qual o país está em incumprimento diz respeito às chamadas "dívidas ocultas", descobertas em 2016.

PMA // VM

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Portugal com maior défice orçamental em 22 Estados-membros no 2º trimestre

Portugal teve o maior défice orçamental (-2,7% do PIB) no segundo trimestre do ano entre os 22 Estados-membros para os quais há dados disponíveis, segundo dados dvulgados esta terça-feira  pelo Eurostat.

Lucro da Ryanair desce 7%, em seis meses, para 1,2 mil milhões de euros

O lucro da Ryanair desceu 7% para 1,2 mil milhões de euros, em seis meses até 30 de setembro, informou esta segunda-feira a transportadora aérea, que registou, porém, a subida de receitas e de passageiros.

Registos de alojamento local aumentam de 14 mil para 77 mil em quatro anos

O alojamento local em Portugal cresceu cinco vezes nos últimos quatro anos, aumentando de 14 mil registos em 2014 para mais de 77 de mil estabelecimentos este ano, segundo o Registo Nacional de Estabelecimentos de Alojamento Local (RNAL).

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.