Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

Homem que matou mulher num jardim de Alcáçovas condenado a 23 anos de prisão

| País
Porto Canal com Lusa

Évora, 16 mai (Lusa) - O Tribunal de Évora condenou hoje a 23 anos de prisão efetiva um homem acusado de ter matado a mulher com uma navalha, no jardim público de Alcáçovas, no concelho de Viana do Alentejo.

Na leitura do acórdão, o tribunal deu como provados os crimes de homicídio qualificado e de violência doméstica de que o homem estava acusado pelo Ministério Público (MP).

Segundo o acórdão lido pela juíza que presidiu ao coletivo que julgou o caso, o homem, de 55 anos, foi condenado, em cúmulo jurídico, a uma pena única de 23 anos de prisão efetiva e ao pagamento de indemnizações, incluindo 45 mil euros a cada filho.

No final da leitura do acórdão, a defesa indicou que vai recorrer da sentença.

Em prisão preventiva no Estabelecimento Prisional de Beja, há cerca de um ano, Joaquim Ganso, de 55 anos, estava acusado pelo MP da prática dos crimes de homicídio qualificado e de violência doméstica.

No início do julgamento, o arguido admitiu a autoria do crime, apesar de dizer que não se lembrava de alguns momentos, e manifestou arrependimento, frisando, por diversas vezes, que não era capaz de se imaginar "a fazer aquilo".

O homicídio ocorreu a 06 de maio de 2017, cerca das 14:30, no jardim público da vila de Alcáçovas, no concelho de Viana do Alentejo, distrito de Évora.

SYM // MLM

Lusa/Fim

+ notícias: País

Mulher morre após despiste de carro para a ria de Aveiro

Uma mulher com cerca de 60 anos morreu na sequência de um despiste que levou à queda de um veículo ligeiro que transportava duas pessoas à ria de Aveiro, na Estrada Nacional 327, entre a Torreira, Murtosa, e São Jacinto, Aveiro, apurou o Porto Canal junto do CDOS de Aveiro.

Atualizado 27-05-2018 18:30

Milhares de sites ensinam crianças a fingirem doenças para faltar às aulas

Milhares de páginas na internet ensinam truques às crianças para enganar os pais e faltar às aulas: fingir dores de barriga, inventar problemas de pele ou fazer vomitado falso são algumas das dicas.

Tribunal despromove comissários da PSP. Sindicato quer apurar responsabilidades

O Tribunal Administrativo de Lisboa mandou a PSP despromover 119 oficiais à categoria de subcomissários e ordenou 33 promoções. Paulo Rodrigues diz que é preciso apurar responsabilidades.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.