Info

GNR apreende em Santo Tirso material contrafeito no valor de 405 mil euros

GNR apreende em Santo Tirso material contrafeito no valor de 405 mil euros
| Norte
Porto Canal com Lusa

A Unidade de Ação Fiscal da Guarda Nacional Republicana (GNR) apreendeu em Santo Tirso, distrito do Porto, 17.560 peças de vestuário contrafeito, no valor de 405 mil euros, anunciou hoje aquela força policial.

Em comunicado enviado à agência Lusa, a GNR informa que a ação, levada a cabo no sábado pelo Destacamento de Ação Fiscal do Porto, ocorreu "no decurso de uma operação de fiscalização de bens em circulação", seguindo a mercadoria detetada "numa viatura sem que o motorista exibisse qualquer documento que justificasse a sua legal proveniência e destino".

"Após exame realizado às peças de vestuário transportadas, verificou-se que se tratava de produtos contrafeitos", acrescenta a nota de imprensa.

O condutor da viatura, de 30 anos, foi identificado, sendo os factos comunicados ao Tribunal Judicial de Santo Tirso.

Em declarações à agência Lusa, o comandante do Destacamento de Ação Fiscal de Coimbra, Rui Chantre, revelou "ser português e residente na zona norte o cidadão que seguia na viatura" intercetada.

Segundo o militar, a "mercadoria apreendida constava de t-shirts, polos de meia manga e boxers", material normalmente "associado ao comércio de feira, mercados e vendas online".

+ notícias: Norte

Imposto das Finanças deixa paróquia de Paço de Sousa, em Penafiel, com penhora de 1300 euros

As Finanças estão a cobrar a instituições ligadas à igreja a chamada taxa mortágua aplicada aos contribuintes com maior riqueza. É o caso da Igreja Paroquial de Paço de Sousa em Penafiel. O Fisco penhorou mais de 1300 euros em dívida por uma avaliação que é considerada ilegal pela instituição.

Incêndio em vacaria da Póvoa de Varzim matou 500 vacas

Um incêndio numa vacaria na Póvoa de Varzim, no distrito do Porto, provocou esta terça-feira a morte de 500 animais, disse à Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro do Porto (CDOS).

35 pessoas e 21 empresas começaram a ser julgadas por lesarem o Fisco em mais de 70 milhões de euros

Esta segunda-feira 35 pessoas e 21 empresas começaram a ser julgadas por lesarem o Fisco em mais de 70 milhões de euros com um esquema de compra e venda de ouro. Na próxima audiência que está marcada para o dia 19 de novembro vão ser ouvidos cinco arguidos.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.