Info

Ministério Público acusa "distribuidor grossista" de droga em Guimarães e mais cinco arguidos

Ministério Público acusa "distribuidor grossista" de droga em Guimarães e mais cinco arguidos
| Norte
Porto Canal com Lusa

O Ministério Público (MP) acusou de tráfico de estupefacientes seis indivíduos, entre os quais um “distribuidor grossista” que a partir de vários locais de Guimarães alimentava os “retalhistas”, divulgou a Procuradoria-Geral Distrital do Porto (PGDP).

Em nota publicada no seu 'site', a PGDP refere que o MP considerou indiciado que um dos arguidos funcionou, de janeiro de 2015 a outubro de 2017, funcionou como distribuidor grossista de heroína e cocaína, alimentando outros traficantes retalhistas.

Quando foi detido, em outubro de 2017, este arguido tinha consigo, numa residência em Guimarães, 1,3 quilos de heroína e 191 gramas de cocaína.

Segundo o MP, este arguido desenvolveria a sua atividade a partir de vários locais de armazenamento, preparação, dissimulação e corte no concelho de Guimarães e com a colaboração de uma mulher e um homem, também arguidos.

Dois outros arguidos são mais um homem e uma mulher que, durante o período em causa, foram “clientes” do “grossista”, tendo-lhe comprado produto estupefaciente ao longo do período em questão.

Estes dois arguidos revenderiam “com lucro” a consumidores ou a outros pequenos traficantes, encontrando-se entre estes um arguido também acusado.

O arguido grossista e um outro tinham sido já condenados, por duas vezes, a penas de prisão efetiva, que cumpriram, pela prática de crime de tráfico de estupefacientes.

Neste processo, foram, assim, acusados como reincidentes.

Um dos arguidos vai ainda responde por um crime de detenção de arma proibida.

+ notícias: Norte

Imposto das Finanças deixa paróquia de Paço de Sousa, em Penafiel, com penhora de 1300 euros

As Finanças estão a cobrar a instituições ligadas à igreja a chamada taxa mortágua aplicada aos contribuintes com maior riqueza. É o caso da Igreja Paroquial de Paço de Sousa em Penafiel. O Fisco penhorou mais de 1300 euros em dívida por uma avaliação que é considerada ilegal pela instituição.

Incêndio em vacaria da Póvoa de Varzim matou 500 vacas

Um incêndio numa vacaria na Póvoa de Varzim, no distrito do Porto, provocou esta terça-feira a morte de 500 animais, disse à Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro do Porto (CDOS).

35 pessoas e 21 empresas começaram a ser julgadas por lesarem o Fisco em mais de 70 milhões de euros

Esta segunda-feira 35 pessoas e 21 empresas começaram a ser julgadas por lesarem o Fisco em mais de 70 milhões de euros com um esquema de compra e venda de ouro. Na próxima audiência que está marcada para o dia 19 de novembro vão ser ouvidos cinco arguidos.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.