Jornal Diário Jornal das 13

Caminha garante meio milhão de euros para construir ecovia na marginal

| Norte
Porto Canal com Lusa

Caminha, Viana do Castelo, 11 mai (Lusa) - O presidente da Câmara de Caminha anunciou hoje à Lusa a aprovação de uma candidatura a fundos comunitários, de 500 mil euros, para a construção de uma via de circulação para peões e bicicletas na marginal do concelho.

"Ainda não há prazo para avançar com a obra, mas a candidatura apresentada foi aprovada há uma semana, no valor de cerca de 500 mil euros", afirmou Miguel Alves.

O autarca socialista, contactado pela agência Lusa a propósito da inauguração do Cais dos Pescadores, explicou que aquela ecovia, prevista para a marginal e frente ribeirinha, "criará uma via de circulação para peões e bicicletas, articulada com os parques existentes nos topos da área de intervenção e ainda com áreas que possam constituir-se como interfaces de transportes".

"O objetivo principal é promover o modo de circulação pedonal e ciclável e dessa forma reduzir as emissões de gases com efeito estufa e reduzir o consumo energético no domínio da mobilidade urbana", sustentou.

O custo total da empreitada é de 528.842 euros, sendo o valor elegível de 498.908 euros

Além daquela ecovia, Miguel Alves adiantou que o município "aguarda a abertura de um aviso para candidatar a construção do novo mercado" que substituirá o edifício onde funciona atualmente o mercado daquela vila do Alto Minho, construído provisoriamente há mais de 40 anos.

A modernização do Cais dos Pescadores, como é conhecido em Caminha, a inaugurar, no sábado, às 11.00, pela ministra do Mar, Ana Paula Vitorino "encerra" um investimento de 1,8 milhões de euros da sociedade Polis Litoral Norte na marginal do concelho.

A obra, um investimento de 780 mil euros, é cofinanciada em 75% pelo Programa Operacional (PO) Mar 2020 e em 25% pela Docapesca.

A modernização do cais de pesca, integra o projeto de requalificação da marginal do concelho, era "há muito" considerada "urgente" para "beneficiar a classe piscatória que há cerca de quatro décadas esperava pela sua concretização, para garantir condições à faina, sobretudo em matéria de segurança".

Para o autarca da Caminha, Miguel Alves "esta é a primeira intervenção de fundo na marginal do concelho, em mais de três décadas que vem, finalmente, dar resposta aos anseios da classe piscatória".

A modernização do cais de pesca (designado também como Cais dos Pescadores, Cais da Rua ou Cais da Vila) "permitiu, especificamente, o aumento da área útil do cais, o prolongamento da ponte-cais, a reparação/beneficiação da rampa-varadouro e das estruturas para amarração as embarcações e recuperação das escadas para acesso às embarcações, a instalação de um novo guincho na rampa e o incremento da capacidade de atracação dos barcos".

A obra "foi realizada no quadro do Programa Operacional Mar 2020, que só foi operacionalizado pelo Governo em 2016".

O projeto "foi construído em diálogo entre a Polis Litoral Norte, os pescadores, o Município de Caminha, a Junta de Freguesia de Caminha e Vilarelho e o anterior comandante da Capitania do Porto de Caminha, Gonzalez dos Paços".

Além do Cais dos Pescadores, a intervenção na marginal incluiu o dessassoreamento do canal de navegação dos pescadores e a obra de alimentação artificial dos sistemas dunares de Camarido e Moledo, já concluídas.

A obra de alimentação artificial dos sistemas dunares de Camarido e Moledo, incluiu "a proteção e reforço dos cordões dunares daquelas praias, através de dragagens de areias de elevada qualidade retiradas do estuário do rio Minho, e recolocadas naqueles sistemas naturais de defesa costeira".

Em simultâneo "melhoram, com a estratégica localização dos fundos a dragar, as condições de navegabilidade de embarcações no estuário, o que se revela num contributo muito importante para a atividade da pesca local".

Aquele investimento rondou os 490 mil euros, com financiamento de 95% garantido pelo Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR) e 5% pela sociedade Polis Litoral Norte.

A sociedade Polis Litoral Norte, constituída, em 2009, entre o Estado e os municípios de Caminha, Viana do Castelo e Esposende, têm como objeto a intervenção numa faixa costeira de 50 quilómetros, integrando ainda as zonas estuarinas dos rios Minho, Coura, Âncora, Lima, Neiva e Cávado, numa extensão de aproximadamente trinta quilómetros. A área de intervenção totaliza cerca de cinco mil hectares e integra o Parque Natural Litoral Norte.

ABYC//

Lusa/Fim

+ notícias: Norte

Fogo de Alijó está "em resolução"

O incêndio que deflagrou esta tarde numa zona de floresta e mato de Vila Verde, concelho de Alijó, distrito de Vila Real, está "em resolução", segundo fonte da Proteção Civil.

Policlínica de Lamego acusada por vários utentes de negligência médica em exames médicos

A Policlínica Nossa Senhora dos Remédios, em Lamego, está a ser acusada por vários utentes de negligência médica na realização de exames médicos como colonoscopias e endoscopias. Há vários relatos de situações de intestinos e estômagos perfurados que têm trazido graves problemas de saúde aos utentes. A Policlínica refuta as acusações.

Incêndio em fábrica na Maia já está dominado

O incêndio que deflagrou este sábado cerca das 15h00 numa fábrica de tintas e vernizes na zona industrial da Maia já está dominado, de acordo com o CDOS.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS

Olá Maria!

Trend(i) - diferentes tipos de bolsas...

N'Agenda

Exposição 'Amor com amor...