Jornal Diário Jornal das 13

BPI fecha mais dois balcões no Porto e em Lisboa no final deste mês

BPI fecha mais dois balcões no Porto e em Lisboa no final deste mês
| Economia
Porto Canal com Lusa

O Banco BPI vai fechar mais dois balcões no final deste mês, um no Porto e outro em Lisboa, à semelhança do que já tinha feito em março, segundo informação interna a que a Lusa teve acesso.

Em 27 de abril irão fechar os balcões Praça da Galiza, no Porto, e o balcão Paço do Lumiar, em Lisboa.

A domiciliação das contas dos clientes passará para outros balcões, nomeadamente para as agências Boavista -- Júlio Dinis e Lumiar.

Já em final de março, o BPI tinha encerrado dois balcões, no caso o balcão na Rua Infante D. Henrique, no Porto, e o balcão Chelas, em Lisboa.

O BPI vem reduzindo o número de balcões há vários anos, um processo que desacelerou mais recentemente, mas que não estancou.

No final de 2017, o BPI tinha 431 balcões em Portugal, menos 14 do que os 445 de 2016. O BPI tinha ainda, em dezembro passado, 39 centros de investimento e 35 centros de empresas, no total de 505 unidades comerciais, segundo dados do próprio banco.

A redução de agências em 2017 inclui o fecho de sete balcões na sucursal de França (que são contabilizados pelo banco na operação em Portugal).

Quanto a trabalhadores, saíram no ano passado 594 pessoas, tendo o banco que pertence ao grupo espanhol CaixaBank 4.931 funcionários em Portugal em dezembro passado.

A redução de agências e de trabalhadores tem sido comum a muitos bancos, e não deverá ficar por aqui, quer devido à necessidade de reduzirem custos para melhorarem a rentabilidade, quer devido ao processo de digitalização e automação da indústria bancária que reduzirá a necessidade de funcionários e de balcões presenciais.

O BPI realiza em 20 de abril, próxima sexta-feira, a assembleia-geral anual de acionistas, no Porto, em que, além da aprovação das contas de 2017, está na ordem de trabalhos uma proposta de aumento do número de membros do Conselho de Administração, de 19 para 20, e a eleição de António José Cabral (foi conselheiro do anterior presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso) para preencher a nova vaga.

+ notícias: Economia

EasyJet vai contestar indemnizações por falta de combustível em Lisboa

A companhia aérea easyJet afirmou hoje que vai contestar as indemnizações que foi obrigada a pagar devido às perturbações pela falha no abastecimento de combustível no aeroporto de Lisboa, tentando "recuperar esses valores" junto das petrolíferas.

IEFP admite erros na contagem das horas de formação, processos estão a ser reanalisados

O presidente do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) admitiu hoje erros na contabilização das horas de formação, afirmando que os resultados da reanálise dos processos dos formadores que trabalham a recibo verde serão transmitidos "oportunamente".

Ryanair prevê cancelar até 300 voos diários devido a greve na próxima semana

A companhia aérea Ryanair indicou hoje que prevê cancelar até 300 voos diários na próxima quarta e quinta-feira (dias 25 e 26) devido a perturbações provocadas pela greve de tripulantes de cabine em Portugal, Espanha e Bélgica.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.