Info

OZ Energia compra 50% do capital do grupo Alves Bandeira

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 16 abr (Lusa) -- A OZ Energia, que pertence ao grupo Gestmin, comprou 50% do capital do grupo Alves Bandeira, reforçando a sua atividade na área dos combustíveis líquidos, informou hoje a empresa do grupo Gestmin.

"A OZ Energia de Manuel Champalimaud e os acionistas do grupo Alves Bandeira assinaram hoje um acordo com vista a uma participação igualitária no grupo Alves Bandeira que irá unificar todo o negócio de combustíveis líquidos de ambas as companhias, incluindo redes de postos de abastecimento", disse, em comunicado, a energética.

No entanto, o valor do negócio não foi divulgado.

Para o presidente da Comissão Executiva da OZ Energia, Emanuel Freitas, com a concretização da transação, a empresa "ganha eficiência e consolida a sua atividade a nível nacional".

"Este negócio traz benefícios tanto para os nossos parceiros como para os clientes, com o compromisso de poderem passar a aceder a uma rede de distribuição de combustíveis de âmbito nacional", acrescentou.

Por sua vez, o presidente do grupo Alves Bandeira, Rui Bandeira, disse que a entrada no capital por parte da OZ Energia "surge na sequência de anteriores concentrações de operadores [Alves Bandeira e Petroibérica], permitindo as necessárias economias de escala que o negócio de combustíveis exige".

A operação, que prevê a fusão das duas redes de combustíveis líquidos, está ainda sujeita à autorização da Autoridade da Concorrência.

A OZ Energia tem uma quota de mercado de 12% e conta com 157 distribuidores principais, 120 lojas, 5.000 pontos de venda e um parque estimado em mais de 1.400.000 garrafas.

O grupo Alves Bandeira dedica-se à comercialização de combustíveis líquidos, fuel, betumes e lubrificantes, através de uma rede de retalho com mais de 150 postos de atendimento.

PE // CSJ

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Pão pode aumentar em 2019 em função de subida do salário mínimo e da matéria-prima

O preço do pão poderá subir em 2019, acompanhando o aumento do salário mínimo e do valor da matéria-prima, disse à Lusa o presidente da Associação dos Industriais da Panificação, Pastelaria e Similares do Norte.

Poder de compra em Portugal desce para 76,6% da média da União Europeia em 2017

O poder de compra em Portugal fixou-se em 76,6% da média da União Europeia em 2017, abaixo do ano anterior (77,2%), ocupando o 16º. lugar entre os países da zona euro, divulgou hoje o INE.

Pensões aumentam entre 0,78% e 1,6% em janeiro com base na inflação

As pensões vão aumentar entre 0,78% e 1,6% em janeiro de 2019, segundo cálculos feitos com base nos valores da inflação de novembro publicados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) e confirmados pelo Ministério do Trabalho.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.