Info

Sete reclusos mortos e 17 feridos em confrontos numa prisão na Carolina do Sul

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Columbia, Estados Unidos 16 abr (Lusa) - Pelo menos sete reclusos morreram e 17 outros ficaram feridos com gravidade na sequência de lutas entre os detidos numa prisão de segurança máxima no estado da Carolina do Sul, no sudeste dos Estados Unidos.

Os confrontos ocorreram no Lee Correctional Institution, uma penitenciária em Bishopville, no Condado de Lee, Carolina do Sul. Um porta-voz do departamento de prisões daquele estado, Jeff Taillon, anunciou o primeiro balanço dos desacatos e revelou que agentes estaduais participaram nas operações para controlar a situação, o que aconteceu perto das 3:00 (8:00 hora em Lisboa).

Taillon acrescentou que nenhum dos agentes da polícia ficou ferido nas operações. Os confrontos entre os reclusos começaram cerca das 19:15 de domingo e 17 feridos graves tiveram de receber cuidados médicos fora da prisão.

O departamento da Carolina do Sul responsável pelas penitenciárias indicou que os confrontos ocorreram em três unidades de detenção.

Na penitenciária de máxima segurança de Bishopville estão atualmente cerca de 1.500 reclusos, alguns dos mais violentos e a cumprir as maiores penas da Carolina do Sul.

Em 2015, dois guardas prisionais foram esfaqueados e em fevereiro um recluso matou outro.

NVI // ANP.

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Donald Trump volta a defender separação de famílias na fronteira com o México

O Presidente norte-americano, Donald Trump, voltou a defender este sábado a separação de famílias de imigrantes na fronteira com o México, encorajando todos os que "sentem" que vão ser separados a não entrarem no território.

Acidente de viação na Grécia faz 11 mortos, possivelmente migrantes

A polícia grega disse ter recuperado os corpos de 11 pessoas que acredita serem migrantes recentemente chegados da Turquia, depois de o carro em que seguiam ter tido um acidente no norte da Grécia, adiantou a AP.

Brexit: May não exclui extensão do período de transição

Bruxelas, 18 out (Lusa) -- A primeira-ministra britânica, Theresa May, não excluiu hoje a possibilidade de aceitar uma extensão do período de transição após o 'Brexit', para ter mais tempo para alcançar um acordo comercial com a União Europeia.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.