Info

Síria: BE condena ataque e diz que Portugal se deve distanciar de escalada militarista

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 14 abr (Lusa) -- O Bloco de Esquerda (BE) condenou hoje o ataque conjunto dos Estados Unidos, França e Reino Unido contra a Síria e defendeu que Portugal se deve distanciar "claramente" da escalada militarista internacional.

"O Bloco de Esquerda condena o ataque e apela à resolução pacífica do conflito sírio no quadro do Direito Internacional, garantindo aos povos da Síria a escolha livre e democrática sobre o seu futuro", lê-se no comunicado divulgado pelo partido.

O BE considera que o uso de armas químicas na Síria é "absolutamente inaceitável e deve ser investigado", mas afirma também que "este ataque não resulta de nenhum apuramento real e foi feito à margem das Nações Unidas".

Para o partido, o ataque desta madrugada "constitui uma grosseira violação do Direito Internacional e dos esforços para a paz do Congresso de Sochi" e "faz parte da escalada de militarismo internacional que vem opondo os EUA e a NATO a outras potências", uma escalada de que - diz - "Portugal se deve distanciar claramente".

O Bloco lembra as intervenções militares no Iraque, considerando que o que então se passou "deveria desencorajar a repetição dessa política no caso sírio e em qualquer outro".

"Todos os que se batem pelo primado da paz e do cumprimento do Direito Internacional e dos direitos humanos são convocados a denunciar o ataque desta madrugada. Não é aceitável qualquer normalização da violência e da barbárie, de ataques contra civis e da violação contínua do Direito Internacional", defende ainda.

Os EUA, a França e o Reino Unido realizaram hoje uma série de ataques com mísseis contra alvos associados à produção de armamento químico na Síria, em resposta a um alegado ataque com armas químicas na cidade de Douma, Ghuta Oriental, por parte do governo de Bashar al-Assad.

O Governo português disse já compreender as razões que levaram à intervenção militar desta madrugada na Síria por "três países amigos e aliados de Portugal", defendendo, no entanto, que é necessário "evitar qualquer escalada no conflito sírio, que gere ainda mais insegurança, instabilidade e sofrimento na região".

IM (PMC) // JLG

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Onze manifestantes detidos e 22 agentes feridos durante protesto em Hong Kong

A polícia de Hong Kong informou esta quinta-feira que 11 manifestantes foram detidos e 22 agentes ficaram feridos no protesto contra emendas à proposta de lei que preveem a extradição de suspeitos de crimes para a China.

Dois milhões em protesto em Hong Kong na véspera de greve geral - organização

Hong Kong, China, 16 jun 2019 (Lusa) -- Cerca de dois milhões de pessoas participaram hoje em Hong Kong num protesto contra a lei da extradição, segundo os organizadores, que apelam a uma greve geral na segunda-feira, enquanto a polícia estima a adesão em menos de 400 mil.

Netanyahu inaugura nos Montes Golã colonato batizado em honra de Donald Trump

Jerusalém, 16 jun 2019 (Lusa) -- O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, inaugurou hoje um novo colonato nos Montes Golã, território sírio anexado por Israel em 1981, batizado "Colina Trump" em honra do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

N'Agenda

1ª Bienal de Fotografia do Porto:...