Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

Oito doentes isolados no hospital de Viseu devido a bactéria multirresistente

| País
Porto Canal com Lusa

Oito doentes encontram-se em isolamento num serviço de Medicina do hospital de Viseu por estarem colonizados com a bactéria multirresistente KPC, mas "o surto está controlado", disse hoje à agência Lusa o diretor clínico, Cílio Correia.

Atualizado 14-04-2018 11:59

"Neste momento, os doentes estão identificados. Temos oito doentes colonizados, não infetados, mas temos que fazer as zaragatoas de segurança", esclareceu o também presidente do conselho de administração do Centro Hospitalar Tondela Viseu, mostrando-se convencido de que poderão ter alta hospitalar nos próximos dias.

O médico explicou que a KPC (Klebsiella Pneumoniae Carbapenemase) "é uma bactéria multirresistente que, em muitas circunstâncias, resulta da utilização de antibióticos em doentes que estão comprometidos do ponto de vista imunológico, têm as defesas baixas".

"Ou porque são idosos ou porque têm doenças de outro tipo e fazem infeções sucessivas, obrigam-nos a utilizar vários tipos de antibióticos, entre os quais as cefalosporinas, que são indutoras do aparecimento destas bactérias", acrescentou.

Segundo Cílio Correia, o primeiro caso, há cerca de oito dias, foi uma idosa de 96 anos que estava infetada pela bactéria KPC e que colonizou os oito doentes que se encontram isolados.

"A senhora, que já faleceu, teve nos últimos tempos várias entradas no hospital para tratar infeção urinária e infeção respiratória", contou, acrescentando que a causa da morte não foi a bactéria.

O responsável explicou que foram tomadas "medidas de higienização ambiental, desinfeção e confinamento dos doentes que estiveram em contacto (com a idosa)" para evitar transmissões cruzadas.

"Adotámos uma estratégia de confinamento. Neste momento, temos confinados os doentes que estão à espera da confirmação da zaragatoa para poderem ter alta", acrescentou.

Cílio Correia disse que, quando cada doente tiver alta e for para casa, leva consigo uma nota informativa.

"Se, por acaso, tiver alguma sintomatologia que o faça vir a uma nova consulta ou a um serviço de urgência deve trazer essa folha informativa para que o médico que o vai ver faça a zaragatoa e o isole desde logo", afirmou.

As famílias serão informadas que "devem lavar as mãos e o próprio doente, quando vai à casa de banho, deve fazer uma higienização adequada para evitar a transmissão", acrescentou.

+ notícias: País

Entidades acreditam que população do Interior usa fogo posto como forma de chamar à atenção

O fogo posto nas áreas protegidas pode ser um de apelo das populações que vivem num interior que, dizem eles está praticamente abandonado. Esta é uma das conclusões dos especialistas e também dos autarcas que reclamam mais medidas de apoio a estes cidadãos.

Queixas na Saúde não param de aumentar

Durante o ano passado a Entidade Reguladora da Saúde recebeu mais de 70 mil reclamações dos serviços de saúde públicos e privados. As queixas dos utentes foram em média 192 por dia, o destaque foi para o tempo de espera para as consultas.

Todos os casos de sarampo confirmados até agora estão curados

Todos os 109 casos confirmados de sarampo no surto da região Norte estão curados, havendo ainda 18 casos a ser investigados, segundo um boletim hoje emitido pela Direção-geral da Saúde (DGS).

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.