Jornal Diário Jornal das 13

Banco BPI fecha mais dois balcões em 28 de março

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 17 mar (Lusa) -- O Banco BPI vai fechar mais dois balcões no final deste mês, um no Porto e outro em Lisboa, segundo informação interna a que a Lusa teve acesso.

Em 28 de março fecharão o balcão do BPI na Rua Infante D. Henrique, no Porto, e o balcão Chelas, em Lisboa, estando os clientes a ser informados das agências para as quais as suas contas passarão.

O BPI já vem reduzindo o número de balcões há vários anos, um processo que desacelerou mais recentemente, mas que não estancou.

No final de 2017, o BPI tinha 431 balcões em Portugal, menos 14 do que os 445 de 2016. O BPI tinha ainda, em dezembro passado, 39 centros de investimento e 35 centros de empresas, no total de 505 unidades comerciais, segundo dados do próprio banco.

Contudo, é de referir que na redução de agências em 2017 está integrada o fecho de sete na sucursal de França (que são contabilizados pelo banco na operação em Portugal).

Quanto a trabalhadores, saíram no ano passado 594 pessoas, tendo o banco que pertence ao grupo espanhol CaixaBank 4.931 funcionários em Portugal em dezembro passado.

A redução de agências e de trabalhadores tem sido comum a muitos bancos, e não deverá ficar por aqui, quer devido à necessidade de reduzirem custos para melhorarem a rentabilidade, quer devido ao processo de digitalização e automação da indústria bancária que reduzirá a necessidade de funcionários e de balcões presenciais.

IM // CSJ

Lusa/fim

+ notícias: Economia

Taxistas insistem que mantêm protesto até serem recebidos pelo Governo

Os taxistas continuam este sábado parados, pelo quarto dia consecutivo, e determinados a manter o seu protesto até serem recebidos pelo Governo, disse hoje Florêncio Almeida, da Associação Nacional dos Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros de Passageiros (ANTRAL).

Centeno diz que será cumprido défice de 0,7% do PIB este ano

O ministro das Finanças disse hoje que será cumprido este ano o défice previsto de 0,7% do Produto Interno Bruto (PIB), uma vez que não se repetirão os efeitos que penalizaram o saldo das contas públicas no primeiro semestre.

UGT aprova hoje reivindicações para 2019, com aumentos entre os 3 e os 4%

A UGT volta hoje à atividade sindical com a aprovação da política de rendimentos para 2019, que deverá incluir um aumento dos salários entre os 3 e os 4% e outras medidas para melhorar o rendimento das famílias.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.