Info

Angela Merkel empossada como nova chanceler da Alemanha

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Berlim, 14 mar (Lusa) - A chanceler alemã, Angela Merkel, foi hoje empossada como chefe do Governo germânico, quase seis meses depois das eleições que obrigaram a longas negociações para garantir o apoio do Partido Social Democrata (SPD).

A tomada de posse acontece horas depois de os deputados terem votado favoravelmente a eleição Merkel, abrindo as portas para o cumprimento do quatro mandato consecutivo, ao fim de seis meses depois de impasse político.

Na votação no Parlamento, dos 688 votos válidos, 364 deputados disseram "sim" a Merkel, mais nove do que o necessário para atingir a maioria requerida, mas menos 35 do que a maioria teórica do total de eleitos conservadores e sociais-democratas (399).

Segundo os resultados da votação secreta, registaram-se nove abstenções e 315 votos contra.

A coligação de Merkel envolve os conservadores da União Democrata Cristã (CDU) e da União Social Cristã (CSU), bem como o Partido Social Democrata (SPD), de centro esquerda, cujos deputados, no total, representam 399 assentos parlamentares.

A votação de hoje põe termo a 171 dias de impasse governamental -- mais do dobro do anterior recorde --, criado após as eleições de setembro, em que os três partidos perderam força política num país cuja economia é a maior da Europa.

MBA (JSD) // FPA

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

761 mortos nos três países afetados pelo ciclone Idai

As autoridades identificaram até ao momento 761 mortos nos três países africanos que há dez dias foram afetados pela passagem do ciclone Idai.

Número de mortos contabilizados por Moçambique devido ao ciclone sobe para 417

O número de mortos contabilizados por Moçambique, devido ao ciclone Idai, subiu este sábado para 417, anunciaram hoje as autoridades.

Forças Democráticas Sírias anunciam fim do "califado" do Estado Islâmico na Síria

As Forças Democráticas Sírias anunciaram este sábado que o "califado" do grupo extremista Estado Islâmico (EI) foi totalmente eliminado, após combates em Bagouz, o último reduto 'jihadista' na Síria.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.