Jornal Diário Jornal das 13

Embaixada russa em Londres pede "inquérito conjunto" sobre envenenamento de ex-espião

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Londres, 13 mar (Lusa) -- A embaixada russa em Londres anunciou hoje através da rede social Twitter ter solicitado ao Governo britânico a abertura de um "inquérito conjunto" sobre o envenenamento do ex-espião Serguei Skripal.

Aquela representação diplomática afirma igualmente que a Rússia "não está envolvida" neste caso e previne que Moscovo vai ripostar a qualquer medida de represálias que possa ser decidida por Londres.

Na segunda-feira, a primeira-ministra britânica, Theresa May, afirmou ser "muito provável que a Rússia seja responsável" pelo envenenamento de Serguei Skripal e da filha, Yulia, numa declaração no parlamento em Londres.

Em resposta, a Rússia classificou como um "espetáculo circense" as acusações feitas por May.

Serguei Skripal, de 66 anos, e a filha Yulia, de 33 anos, foram encontrados inconscientes no dia 04 de março, num banco num centro comercial em Salisbury, no sul de Inglaterra.

Na quarta-feira seguinte, o chefe da polícia antiterrorista britânica, Mark Rowley, revelou que o ex-agente duplo russo e a sua filha tinham sido vítimas de um ataque deliberado com um agente que ataca o sistema nervoso.

Os dois têm permanecido hospitalizados, nos cuidados intensivos, em "estado crítico, mas estável".

Também hospitalizado está um polícia, um dos primeiros a chegar ao local para socorrer o ex-espião russo e a sua filha. O elemento das forças policiais está consciente e encontra-se em "estado grave, mas estável".

PCR (SCA) // EL

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Trabalhadores do McDonald's fizeram greve nos EUA contra o assédio sexual

Trabalhadores do McDonald's realizaram, na terça-feira, em dez cidades norte-americanas, uma greve laboral contra o assédio sexual na empresa, em consonância com o movimento #MeToo.

Chuvas na Nigéria provocam 100 mortos, autoridades estimam que número aumente

As autoridades nigerianas afirmaram que 100 pessoas morreram devido às inundações provocadas pelas chuvas fortes que se fizeram sentir no país nos últimos dias.

Mais de 600 estradas bloqueadas em Hong Kong após passagem do tufão Mangkhut

Mais de 600 estradas estão bloqueadas em Hong Kong devido aos destroços provocados pela passagem do tufão Mangkhut, no domingo, que deixou mais de 200 feridos naquele território, noticiou hoje um jornal local.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.