Info

Jerónimo diz que CDS "devia prestar contas" por votar contra fim de taxas na Saúde

Jerónimo diz que CDS "devia prestar contas" por votar contra fim de taxas na Saúde
| Política
Porto Canal com Lusa

O secretário-geral do PCP alertou que este domingo que o CDS, que "bateu com a mão no peito em relação à saúde", devia "prestar contas" por votar contra fim das taxas moderadoras e acompanhamento de doentes não urgentes.

"Estávamos a ouvir, no congresso, o CDS a bater com a mão no peito em relação à saúde. Pois [o CDS] devia prestar contas, porque votou contra o fim das taxas moderadoras e acompanhamento dos doentes não urgentes", afirmou Jerónimo de Sousa, referindo-se ao congresso dos centristas que hoje terminou, durante o comício comemorativo do 97.º aniversário do PCP.

O secretário-geral criticou ainda os CTT por "fecharem balcões, desinvestirem e sugarem as reservas da empresa", anunciando depois, como fizeram esta semana, que "vão distribuir aos seus accionistas dividendos que são mais do dobro do lucro obtido em 2017".

+ notícias: Política

Hospitais privados desconhecem parecer da PGR e contestam devolução de 38M à ADSE

A Associação Portuguesa de Hospitalização Privada (APHP) diz desconhecer o parecer da PGR favorável à devolução de 38 milhões ao sistema de saúde da função pública (ADSE), contestam esta posição e vão convocar com urgência uma Assembleia Geral.

Governo quer rever condições de acesso ao ensino doméstico

Uma proposta de portaria pretende apertar as regras de frequência para inscrições no ensino doméstico. O número de alunos nesta situação tem vindo a aumentar mas agora o Governo quer rever as condições de acesso.

Governo aprova projetos de expansão dos metros de Porto e Lisboa

O Conselho de Ministros aprovou hoje os projetos de expansão dos metros de Lisboa e do Porto, que em conjunto representam um investimento de 517 milhões de euros, 190 milhões dos quais comparticipados com fundos europeus, segundo o Governo.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.