Info

Seis desalojados e dois feridos em mais de 770 ocorrências

| País
Porto Canal com Lusa

Seis pessoas desalojadas e dois feridos ligeiros é o balanço do mau tempo que se faz sentir no país, tendo sido registadas 773 ocorrências, disse fonte da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), cerca das 00h00 deste sábado.

“Continuamos a assistir a condições meteorológicas adversas, com vento forte, precipitação e agitação marítima. Desde as 00:00 de sexta-feira que temos registadas 773 ocorrências, sendo os distritos mais afetados Lisboa, Santarém, Castelo Branco e Setúbal”, disse à Lusa fonte do ANPC.

Segundo a mesma fonte, as principais ocorrências estão relacionadas com quedas de árvores, quedas de estruturas, limpeza de vias e inundações, existindo registo de seis pessoas desalojadas e dois feridos.

“Seis pessoas ficaram desalojadas devido a inundações, quatro em Oeiras e duas em Odivelas. Temos também registo de dois feridos ligeiros, um em Odivelas e um em Santarém, e duas pessoas que foram assistidas devido à queda de uma árvore em cima de um carro em Almada”, afirmou.

A ANPC refere ainda que o alerta subiu de amarelo para laranja devido a um aumento da agitação marítima em toda a costa, com ondas de cinco a sete metros, que podem chegar aos 12 metros.

“Temos 13 barras fechadas e sete condicionadas. Esta é uma situação que se vai manter e está previsto para domingo um agravamento da agitação marítima”, disse.

A ANPC refere ainda que existem avisos para uma possível queda de neve em Bragança, Guarda, Vila Real e Viseu.

+ notícias: País

Costa portuguesa sob aviso laranja devido à agitação marítima

Toda a costa de Portugal continental está hoje sob aviso amarelo devido à previsão de agitação marítima forte, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Legião da Boa Vontade entrega 800 cabazes de natal em todo o país

A Legião da Boa Vontade vai entregar em todo o país 800 cabazes de natal. Hoje cem famílias carenciadas de braga receberem alimentos e brinquedos.

Em 2018 morreram 37 trabalhadores no sector da construção civil

Este ano morreram 37 trabalhadores no sector da construção civil. As contas são do Sindicato da Construção de Portugal, que admite que em 2019 possam vir a morrer mais trabalhadores, devido ao aumento do trabalho clandestino.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS