Jornal Diário Jornal das 13

Deputados autarcas podem continuar a justificar faltas com trabalho político

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 14 fev (Lusa) -- Os deputados autarcas vão continuar a poder justificar as suas faltas no parlamento com trabalho político e partidário efetuado nas câmaras e assembleias municipais, de acordo com um parecer da subcomissão de Ética hoje aprovado.

O parecer da subcomissão foi aprovado na Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias por todas as bancadas, com a abstenção do PS que tem dúvidas sobre esta interpretação.

A dúvida sobre se os deputados que são autarcas podem justificar as faltas no parlamento com o trabalho político para assistir a reuniões nas autarquias tinha sido levantada pelo deputado do PS Jorge Lacão na sua qualidade da vice-presidente da Assembleia da República com a competência (rotativa) de justificação de faltas.

A Comissão de Assuntos Constitucionais pediu um parecer sobre o assunto à subcomissão da Ética, que concluiu ser possível justificar as faltas na Assembleia da República com trabalho político e partidário se se tratar de participar em reuniões em câmaras ou assembleias municipais.

Jorge Lacão reconheceu estar numa posição minoritária, mas argumentou as suas dúvidas com o facto de um deputado estar a justificar uma falta num órgão para que foi eleito, o parlamento, com o trabalhou noutro órgão, autárquico, que tem "um mandato diferente" e foi escolhido "numa eleição diferente".

"São mandatos distintos. Se [a justificação] não é aceite nas autarquias, simetricamente também deveria ser proibido na Assembleia", afirmou Jorge Lacão.

Luís Marques Guedes, deputado do PSD e presidente da subcomissão da Ética, afirmou que o Estatuto dos Deputados "dissocia o trabalho parlamentar do trabalho político ou partidário" e que é suficientemente amplo para justificar a falta do deputado autarca.

NS // ZO

Lusa/fim

+ notícias: Política

Governo autoriza arranque da terceira fase de obras no hospital de Gaia

O Governo autorizou o arranque da terceira fase de obras no Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho (CHVNG/E), indicou esta terça-feira a câmara de Vila Nova de Gaia após uma reunião com o Ministério da Saúde.

36 Câmaras Municipais que não têm o Plano Municipal Contra Incêndios atualizado

Há 36 Câmaras Municipais que não têm o Plano Municipal Contra Incêndios atualizado. A norma foi introduzida no Orçamento do Estado de 2018 e previa uma penalização até 20% para os municípios, que acabou por não acontecer. As autarquias garantem que não há motivos para alarme.

Concelhia do PSD/Porto acusa Rui Moreira de tentar "enganar a cidade" no caso Montebelo

O PSD do Porto acusa o movimento de Rui Moreira de tentar “enganar a cidade” e “ludibriar os portuenses” no caso Montebelo, recusando que aquela obra na Foz Velha tenha sido licenciada nos termos atuais nos mandatos de Rui Rio.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS

Olá Maria!

Trend(i) - diferentes tipos de bolsas...

N'Agenda

Exposição 'Amor com amor...