Info

APAV lança hoje campanha sobre violência no namoro

| País
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 14 fev (Lusa) -- A Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) lança hoje, quando se assinala o Dia dos Namorados, uma nova campanha sobre a violência no namoro, com particular enfoque nas novas tecnologias.

Segundo a APAV, esta nova campanha de sensibilização, dirigida a um público jovem e com particular enfoque nas novas tecnologias, tem como mensagem principal "Dá o clique, fala com a APAV".

A campanha resulta de uma parceria com o INP - Instituto Superior Novas Profissões e foi desenvolvida por um grupo de alunos do curso de Relações Públicas e Publicidade.

"A violência no namoro acontece quando, no contexto das relações de namoro, um dos parceiros (ou mesmo ambos) recorre à violência com o objetivo de se colocar numa posição de poder e controlo", explica a APAV.

A associação sublinha ainda que a violência no namoro "pode assumir diferentes formas: verbal, psicológica, física e/ou sexual".

A APAV manifesta-se disponível para apoiar as vítimas, através da Linha de Apoio à Vítima (116 006, chamada gratuita), Messenger (Facebook), videochamada (user Skype: apav_lav) e através da rede nacional de Gabinetes de Apoio à Vítima.

Segundo dados revelados na terça-feira pelo jornal Público, o Observatório da Violência no Namoro recebeu em 10 meses 128 denúncias de vítimas e de testemunhas de violência no namoro e mais de metade dos casos reportam violência física.

De acordo com dados do Estudo Nacional sobre Violência no Namoro, feito em contexto universitário e que vai ser hoje apresentado, mais de metade dos inquiridos foi vítima deste tipo de violência e 37% admite tê-la já praticado.

Dos mais de 1.800 jovens universitários que responderam, "um quinto das raparigas já foi controlada em aspetos que têm de ver com a sua imagem física ou com os lugares que frequentam e 8% já foram obrigadas a ter comportamentos sexuais não desejados".

SO // SB

Lusa/fim

+ notícias: País

Cerca de 40% dos casos vistos nas urgências em 2018 foram pouco ou nada urgentes

Cerca de 40% dos atendimentos em urgência nos hospitais públicos no ano passado foram considerados pouco ou nada urgentes, sendo quase 2,2 milhões de casos, segundo dados oficiais.

IGAI abre inquérito à atuação da GNR na captura de suspeitos de tráfico de droga

A Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) abriu um inquérito para investigar a atuação de militares da GNR durante a captura de suspeitos de tráfico de droga na Auto Estrada 29, indicou este sábado à Lusa a Guarda Nacional Republicana.

Corpo da jovem que morreu soterrada na Madeira resgatado pelas equipas de socorro

O corpo da jovem que morreu este sábado soterrada numa derrocada na Calheta, zona oeste da Madeira, foi resgatado pelas equipas de socorro ao final da noite, dez horas após a ocorrência.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.