Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

Profissionais do Hospital de São João agredidos por grupo que tentou atropelar polícia

| Norte
Porto Canal com Lusa

A PSP participou ao Ministério Público um caso de agressões a profissionais da urgência do Hospital de São João, no Porto, e posterior tentativa de atropelamento do polícia que procurava deter os envolvidos, disse esta quarta-feira fonte do Comando Metropolitano.

Atualizado 14-02-2018 17:46

Falando à agência Lusa, o oficial de serviço na PSP do Porto contou que cerca de dez pessoas estiveram envolvidas nos desacatos mas só duas foram identificadas.

Trata-se de uma pessoa que deu entrada na urgência como doente e de outra que ali foi como acompanhante.

O caso registou-se pouco depois das 23:00 de terça-feira.

Na sequência de uma alegada demora de atendimento do doente, foram agredidos dois enfermeiros, um auxiliar e um segurança.

"Um dos enfermeiros necessitou de ficar internado", disse a fonte policial contactada pela Lusa.

O agente da PSP em serviço no posto policial do hospital tentou fazer detenções e chegou mesmo a concretizar disparos de intimidação, para o ar, mas não evitou a fuga dos envolvidos.

Chegaram mesmo a tentar atropelá-lo.

A PSP destacou para o local várias reforços.

+ notícias: Norte

Um morto e "entre 20 a 30 feridos" em explosão em fábrica de Tui na Galiza

A explosão de hoje numa fábrica de pirotecnia em Tui causou hoje "um morto e entre 20 a 30 feridos", alguns com gravidade, e vários desalojados, informou o vice-presidente da Junta da Galiza aos jornalistas no local.

Colisão entre pesado e duas viaturas ligeiras leva a corte na A20 em Gaia

Um acidente entre um veículo pesado e duas viaturas ligeiras em Pedroso, Vila Nova de Gaia, provocou o corte das faixas de emergência e da esquerda, no sentido Norte-Sul, da A20.

Penas até dez anos de prisão por corrupção com cartas de condução em Braga

O Tribunal Judicial de Braga condenou hoje a prisão efetiva cinco dos 47 arguidos num processo de corrupção com cartas de condução, sendo a pena mais elevada de dez anos.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.