Info

"Pacote suspeito" encontrado em Westminster não era perigoso

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Londres, 13 fev (Lusa) -- A polícia britânica indicou que o "pacote suspeito" detetado hoje no Palácio de Westminster, sede do parlamento londrino, continha um pó branco "não perigoso".

O primeiro alerta foi dado às 11:36 de hoje, informou a polícia, que fechou o escritório onde foi detetado o pacote, mas permitiu que se continuasse com as atividades habituais no resto do parlamento.

A imprensa local descreveu cenas de "preocupação" perante a forte presença policial junto a Westminster, apesar de estarem poucos deputados no edifício, dado que a Câmara dos Comuns e dos Lordes se encontram fechadas estes dias para descanso.

"A polícia metropolitana [de Londres] investigou hoje um pequeno pacote que continha um pó branco nas dependências do parlamento. Concluiu-se que o pó não era perigoso", indicou a Scotland Yard.

A 22 de março do ano passado, o parlamento britânico interrompeu de forma urgente a sua sessão e fechou as entradas e saídas durante várias horas, quando um terrorista fez um ataque frente ao palácio de Westminster.

O atacante, que matou cinco pessoas, inclusive um dos polícias locais que asseguravam segurança no parlamento, foi morto a tiro quando tentava aceder ao edifício.

RCP // ROC

Lusa/fim

+ notícias: Mundo

Ministro da Defesa de Israel odena reabertura de entradas para Gaza

O ministro da Defesa de Israel, Avigdor Lieberman, ordenou este domingo a reabertura das entradas de Gaza para pessoas e bens quatro dias depois de terem sido encerradas em resposta a um disparo de morteiro que atingiu o território.

Passaporte português é plano de fuga para brasileiros após eleições

Procurar por um passaporte português passou a ser um plano alternativo, nas últimas semanas, para brasileiros que, receando o aumento da violência após as eleições presidenciais de 28 de outubro, equacionam deixar o país.

Donald Trump volta a defender separação de famílias na fronteira com o México

O Presidente norte-americano, Donald Trump, voltou a defender este sábado a separação de famílias de imigrantes na fronteira com o México, encorajando todos os que "sentem" que vão ser separados a não entrarem no território.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.