Jornal Diário Jornal das 13

Economia de Moçambique cresceu 3,7% em 2017

| Economia
Porto Canal com Lusa

Maputo, 13 fev (Lusa) - A economia de Moçambique cresceu 3,7% em 2017, segundo números apresentados hoje pelo Governo.

"O crescimento do Produto Interno Bruto foi de 3,7% [...], acima da média da África Subsariana", referiu Ana Comoana, porta-voz do Conselho de Ministros.

O valor fica abaixo dos 5,5% inicialmente programados pelo executivo, mas ainda assim em linha com o crescimento da economia mundial.

A vice-ministra da Cultura e Turismo falava no final da reunião de hoje daquele órgão, em que foram analisados os números do Plano Económico Social de 2017.

O crescimento de 3,7% fica próximo da previsão feita pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) em dezembro, no final de uma missão a Maputo, quando apontou para cerca de 3%, sem precisar.

O número fica acima da previsão do Banco Mundial, também datada de dezembro, que apontava para 3,1%.

Face aos números, "relativamente ao balanço do Plano Económico Social de 2017, há um desempenho satisfatório no quadro de implementação do programa quinquenal do Governo, 2015-2019", avaliou Ana Comoana.

Quanto ao resto dos dados hoje divulgados, Moçambique terá fechado o ano com uma inflação média de 15,1%, abaixo dos 15,5% programados pelo Governo e da inflação de 19,5% de 2016.

As Reservas Internacionais Líquidas cobrem 7,3 meses de importação, num cenário em que as exportações cresceram 1,9% e as importações travaram a fundo, com uma retração de 22,8% - em 2016 tinham caído 37,5%.

O executivo apresentou ainda dados relativos à execução do Orçamento de Estado de 2017, apontando para uma redução do défice orçamental (após donativos) de 31% (estimado) para 22,7%.

De acordo com os números, a receita cobrada ficou 114,7% acima do previsto, rondando 214 mil milhões de meticais (2,8 mil milhões de euros) - incluindo 20,9 mil milhões de meticais (278 milhões de euros) de mais-valias resultantes da transferência indireta de 25% do interesse participativo na Área 4 da Bacia do Rovuma da Eni para a Exxonmobil.

Por outro lado, a despesa total do Estado foi de 242 mil milhões de meticais (3,2 mil milhões de euros), 89% do orçamento anual, anunciou o Governo moçambicano.

LFO // ROC

Lusa/fim

+ notícias: Economia

Não param de aumentar os registos de alojamento local

Tem aumentado exponencialmente o número de registos de alojamento local em Portugal. Os proprietários estão a aproveitar enquanto a nova lei não entra em vigor. Com as novas regras, as autarquias passam a ter mais poderes e podem inclusive criar zonas nas cidades sem este tipo de alojamento.

Menos turistas estrangeiros reduzem dormidas nos hotéis em 2,9% em junho

As dormidas na hotelaria diminuíram 2,9% em junho em termos homólogos, devido sobretudo aos turistas estrangeiros que pernoitaram menos 5,1% nos hotéis portugueses nesse mês, divulgou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Portugal ascende ao 2º lugar dos países que mais fundos recebem de Bruxelas

Portugal recebeu, em três anos, 5,7 mil milhões de euros da Comissão Europeia, ascendendo ao segundo lugar entre os Estados-membros que mais fundos comunitários receberam até junho, segundo dados revelados por Bruxelas.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.