Jornal Diário Jornal das 13

Governo espera que três Kamov estejam operacionais para dispositivo de combate a fogos

| País
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 13 fev (Lusa) -- O Ministério da Administração Interna (MAI) estima que os três helicópteros Kamov estejam operacionais para integrar o dispositivo de combate a incêndios florestais, mas neste momento estão todos parados.

Dos seus helicópteros pesados do Estado, um está acidentado desde 2012, outros dois estão para reparação desde 2015 e os restantes três Kamov que têm estado aptos para voar estão também parados, dois para manutenção e um por "ausência de certificação".

Numa resposta enviada à agência Lusa, o MAI explica que dois Kamov estão "a realizar a grande manutenção dos 10 anos" e o terceiro está operacional, "apesar de indisponível por ausência de certificação de um componente pela autoridade aeronáutica" e deverá iniciar este mês "a grande manutenção" dos 10 anos.

O Ministério da Administração Interna refere também que estes três Kamov "deverão estar operacionais para o dispositivo de combate aos incêndios".

Quanto à reparação dos dois helicópteros inoperacionais desde 2015, o MAI adianta que o arranjo faz parte do objeto do grupo de trabalho criado entre os ministérios da Administração Interna e da Defesa Nacional para trabalhar na transição da gestão e controlo dos meios aéreos de combate a incêndios para a Força Aérea.

Estes dois helicópteros do Estado já não integraram o dispositivo de combate a incêndios florestais nos três últimos anos.

CMP // VM

Lusa/Fim

+ notícias: País

Duplicaram zonas balneares com banho desaconselhado ou proibido

O número de zonas balneares em que o banho foi desaconselhado ou proibido duplicou em relação a período homólogo de 2017, informou hoje a Associação ZERO, que alerta para a ausência de medidas de controlo em algumas praias.

Calor coloca 14 distritos em aviso amarelo a partir de sábado

Catorze distritos vão estar a partir da manhã de sábado com aviso amarelo devido ao tempo quente, de acordo com o Instituto Português do mar e da Atmosfera (IPMA).

PSP pondera avançar com protestos em setembro

Vêm aí protestos da PSP caso o Governo nada mude até ao final de setembro em relação às exigências laborais feitas. A Associação Sindical dos Profissionais da Polícia quer que termine o corte dos suplementos durante as férias e que seja rejuvenescido o efetivo. Diz o sindicato que em alguns comandos a idade média dos agentes passa dos 50 anos e que isso põe em causa a segurança.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.