Info

Barclays acusado de fraude nas relações comerciais com investidores do Qatar

| Economia
Porto Canal com Lusa

Londres, 12 fev (Lusa) -- O Gabinete de Luta contra a Fraude do Reino Unido (SFO) acusou hoje o Barclays de "assistência financeira ilegal" nas relações comerciais com investidores do Qatar, em 2008.

Nesse ano, aquando da nacionalização dos bancos britânicos, Lloys Banking Group e Royal Bank Of Scotlands, o Barclays contraiu um empréstimo de 12.000 milhões de libras (13,6 mil milhões de euros) à Qatar Holdings, detida unicamente pelo Estado do Qatar, o que lhe permitiu não ser resgatado.

O Barclays, destes 12 mil milhões de libras e ainda em 2008, acabou por fazer um empréstimo à Qatar Holding no valor de 2.200 milhões de libras (2.482 milhões de euros).

A SFO considera que este empréstimo foi usado para comprar, direta ou indiretamente, ações do Barclays, e acusou o grupo britânico de "assistência financeira ilegal".

O Barclays, por sua vez, disse que "o Barclays PLC e Barclays Bank querem apenas defender-se dos encargos que tenham" decorrentes das operações realizadas em 2008.

Em junho passado, o SFO considerou que os encargos referidos pelo Barclays estão relacionados com acordos de investimento para reforçar o capital do Barclays Plc, bem como com o empréstimo de 2.200 milhões de euros.

Os acordos envolveram também o Challenger Universal, um veículo de investimento ligado, na altura, ao primeiro-ministro do Qatar, Hamad bin Jassim bin Jabr al-Thani.

O Barclays tem uma licença bancária que lhe permite operar em diferentes países e, se for considerado culpado de fraude, poderá vir a perder essa autorização.

JS// ATR

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Contribuintes que ganham mais de mil euros continuam a reter IRS a mais

A atualização das tabelas de retenção para 2019 continua a não refletir integralmente o alargamento dos escalões do IRS de 2018 para a generalidade dos trabalhadores e pensionistas com rendimento a partir de mil euros, segundo os cálculos da PwC.

Retenção na fonte de salários médios ainda não reflete totalmente mudança no IRS

As tabelas de retenção na fonte para 2019 vão aumentar o rendimento líquido de maioria dos contribuintes, mas não refletem ainda integralmente o efeito da reorganização dos escalões do IRS e descida de taxas observado em 2018, segundo a consultora Deloitte.

Preço das casas sobe 4,3% na zona euro no 3.º trimestre e em Portugal quase o dobro

O preço homólogo das casas aumentou 4,3% tanto na zona euro quanto na União Europeia (UE) no terceiro trimestre de 2018, com Portugal a registar uma subida de quase o dobro da média (8,5%), segundo o Eurostat.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.