Jornal Diário Jornal das 13

CDS aguarda com "serenidade e esperança" decisão do TC sobre gestação de substituição

| Política
Porto Canal com Lusa

Entroncamento, Santarém, 10 fev (Lusa) -- A líder do CDS-PP disse hoje, no Entroncamento, que aguarda com "muita serenidade e esperança" a decisão do Tribunal Constitucional sobre gestação de substituição.

Questionada durante uma visita ao mercado municipal do Entroncamento (distrito de Santarém) sobre a notícia do semanário Expresso, de que a maioria dos juízes do Tribunal Constitucional (TC) é favorável ao chumbo da lei que regula a gestação de substituição, Cristas afirmou que aguarda a decisão com "muita serenidade e muita esperança".

Lembrando que o CDS foi o único partido que quis verificar a conformidade deste diploma porque tinha "muitas dúvidas", Cristas sublinhou que o envio para o TC, conseguido graças aos vários deputados do PSD que permitiram chegar ao número necessário para o fazer, foi feito na convicção de "era importante" uma "atuação clarificadora".

"Se o Tribunal Constitucional vier a declarar a inconstitucionalidade nós achamos que estivemos bem. Se não, continuaremos achar que a nossa posição tem razão de ser e respeitaremos a decisão", declarou.

Quanto ao facto de existir já um caso concreto de gestão de substituição a decorrer, Cristas afirmou que o TC tem "certamente (...) toda a informação e todo o domínio do direito e dos factos".

"Vamos aguardar que decida", disse.

MLL // VM

Lusa/Fim

+ notícias: Política

Web Summit: Paddy Cosgrave anuncia que retira convite a Marine Le Pen

O presidente executivo da Web Summit, Paddy Cosgrave, anunciou hoje no Twitter que decidiu retirar o convite à líder da extrema-direita francesa, Marine Le Pen, depois das críticas de vários setores.

Governo autoriza arranque da terceira fase de obras no hospital de Gaia

O Governo autorizou o arranque da terceira fase de obras no Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho (CHVNG/E), indicou esta terça-feira a câmara de Vila Nova de Gaia após uma reunião com o Ministério da Saúde.

36 Câmaras Municipais que não têm o Plano Municipal Contra Incêndios atualizado

Há 36 Câmaras Municipais que não têm o Plano Municipal Contra Incêndios atualizado. A norma foi introduzida no Orçamento do Estado de 2018 e previa uma penalização até 20% para os municípios, que acabou por não acontecer. As autarquias garantem que não há motivos para alarme.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.