Info

Ministério Público instaurou inquérito ao incêndio de Tondela

| País
Porto Canal com Lusa

Tondela, Viseu, 16 jan (Lusa) -- O Ministério Público instaurou um inquérito para apurar as circunstâncias em que ocorreu o incêndio na Associação Cultural, Recreativa e Humanitária de Vila Nova da Rainha, no concelho de Tondela, onde morreram oito pessoas e 38 ficaram feridas.

Fonte do Ministério Público disse à agência Lusa que "nas investigações dirigidas pelo DIAP (Departamento de Investigação e Ação Penal) de Viseu, o Ministério Público é coadjuvado pela Polícia Judiciária".

Na segunda-feira, o presidente da Câmara de Tondela, José António Jesus, explicou à Lusa que a associação "foi constituída em 1979, tendo desde então ocorrido diversas intervenções de construção/beneficiação, ao longo dos diferentes mandatos dos seus dirigentes".

Segundo o autarca, o edifício teve "uma obra de adaptação para servir de sede da associação, em 1992, data em que existe licenciamento de obras".

O processo foi "instruído com a legislação em vigor à época, incluindo o projeto de arquitetura e demais projetos de engenharia, elaborados com termo de responsabilidade do autor", acrescentou.

José António Jesus referiu que "a obra foi desenvolvida ao longo de várias fases", sendo "o procedimento de licenciamento deste edifício igual ao dos edifícios particulares (licença, processo instruído e termo de responsabilidade dos projetistas)".

O autarca esclareceu ainda que "obras de conservação ou de alterações de interiores que porventura tenham sido introduzidas após o licenciamento são isentas de controlo prévio por parte do município".

"Presume-se a existência de licença de utilização", afirmou, acrescentando que, "sempre que há conhecimento formal de que alguma obra não tenha requerido a autorização de utilização, o município procede à notificação dos proprietários para a sua regularização".

AMF/CC // SSS

Lusa/fim

+ notícias: País

Portugal com mais 11 mortos e mais 374 infetados por Covid-19 do que na quinta-feira

Portugal regista hoje mais 11 mortos devido à doença covid-19 do que na quinta-feira e mais 374 infetados, dos quais 300 na Região de Lisboa e Vale do Tejo, divulgou a Direção-Geral da Saúde (DGS). 

Covid-19: Próximo ano letivo vai ter mais tempo de aulas e menos férias

Os alunos vão ter mais dias de aulas e menos dias de férias no próximo ano letivo, anunciou hoje o ministro da Educação, confirmando que o regresso às escolas será presencial.

Operação Marquês: Juiz não marca ainda data da decisão instrutória devido a complexidade do processo

O juiz Ivo Rosa revelou hoje que não irá para já revelar a data da decisão instrutória da Operação Marquês devido à enorme complexidade e ao número de volumes que compõem o processo.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.