Info

Famílias das vítimas de incêndio de Tondela com apoio desde o primeiro momento

| País
Porto Canal com Lusa

Tondela, Viseu, 16 jan (Lusa) -- Os serviços de ação social da Câmara de Tondela, em parceria com a Segurança Social e o INEM, estão, desde sábado à noite, a dar apoio às famílias das vítimas do incêndio na associação de Vila Nova da Rainha.

"Temos visitado todas as famílias e tentado dar um apoio à medida daquilo que são as necessidades de cada uma", disse hoje à agência Lusa a vereadora Sofia Ferreira, responsável pelo pelouro da ação social.

Segundo Sofia Ferreira, inicialmente houve "um apoio à crise", feito através de uma carrinha estacionada na aldeia para "apoiar todas as pessoas que pediam informações".

"Nesta fase, estamos a fazer um apoio mais individualizado, mais de domicílio. Já encontrámos algumas situações em que vamos fazer encaminhamento médico para a psiquiatria, outras de apoio mais emocional e outras de apoio mais social, de alguma reorganização social", contou.

A vereadora frisou que uma das preocupações das equipas que andam no terreno tem sido "respeitar a dor das famílias".

"Algumas não querem este apoio agora e dizem: 'Para já não precisamos, ficamos com o contacto para quando for necessário'. Nós respeitamos isso", contou, acrescentando que, nestes casos, é feito "um apoio de retaguarda" que permita perceber se a situação está controlada.

Sofia Ferreira destacou o importante papel das redes de apoio informal, constituídas pelos familiares, pelos amigos, pelos vizinhos e pelo presidente de Junta.

Este "tem um papel fundamental, porque, conhecendo todas as famílias, acaba por estabelecer connosco uma ponte que é determinante, avisando-nos em situações de necessidade", acrescentou.

A responsável pelo pelouro da ação social garantiu que o objetivo é "dar um apoio de continuidade", podendo as famílias recorrerem aos profissionais "sempre que considerem que é necessário".

A Câmara de Tondela decretou, na segunda-feira, três dias de luto municipal, na sequência do incêndio ocorrido no sábado à noite na Associação Cultural, Recreativa e Humanitária de Vila Nova da Rainha, que provocou oito mortos e 38 feridos.

O incêndio deflagrou numa altura em que se encontravam mais de 60 pessoas na associação a participar num torneio de sueca.

Os funerais das oito vítimas mortais realizam-se hoje.

AMF // SSS

Lusa/fim

+ notícias: País

Desagravamento da seca no continente em novembro, Algarve mantém seca extrema

Portugal continental registou em novembro um desagravamento da seca meteorológica, mas no sotavento algarvio manteve-se em situação de seca extrema, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Metade dos hospitais EPE em falência técnica no ano passado

Metade dos hospitais EPE estavam no ano passado em falência técnica, segundo uma análise do Conselho das Finanças Públicas hoje divulgada.

Estudo aponta graves problemas no processo de descentralização que está em curso

Um estudo da Faculdade de Economia do Porto que aponta graves problemas no processo de descentralização que está em curso. A dimensão dos municípios, a falta de financiamento adequado e os prazos demasiado curtos são os aspetos que levam a concluir que o modelo de descentralização não é bom para o País.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

D'Mais

Atitudo - Artes Marciais &...

Nota Alta

"A cidade do Porto está com um...

N'Agenda

"Gosto de estar a par do rap que...