Jornal Diário Jornal das 13

Milhares de argentinos rumam ao Chile por causa da visita do papa Francisco

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Buenos Aires, 13 jan (Lusa) - Pelo menos 38 mil pessoas vão viajar da Argentina para o Chile para acompanhar a visita oficial do papa Francisco, que começa neste país na segunda-feira.

Segundo as autoridades, houve um reforço de controlo nas fronteiras, porque até domingo são esperadas cerca de 38 mil pessoas provenientes da Argentina, que adensam o tráfego automóvel, que já é intenso nesta altura do ano por causa de uma maior presença de turistas.

O papa Francisco começa na segunda-feira a sua sexta viagem por países da América Latina, percorrendo 10 mil quilómetros no Chile e Peru, deixando de fora novamente o seu país natal, a Argentina.

Com passagem por seis cidades e 21 intervenções agendadas, o líder da Igreja Católica deverá abordar os direitos dos povos indígenas e questões políticas e ambientais.

Jorge Bergoglio chegará na segunda-feira a Santiago do Chile e na quarta-feira visitará a região de Araucania, uma das mais pobres do país, onde se centram as reivindicações dos indígenas da etnia mapuche.

Francisco chegará ao Peru no dia 18 à noite e no dia seguinte reunir-se-á com indígenas em Puerto Maldonado.

A visita papal termina no dia 21.

SS/(APN) // JPF

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Trabalhadores do McDonald's fizeram greve nos EUA contra o assédio sexual

Trabalhadores do McDonald's realizaram, na terça-feira, em dez cidades norte-americanas, uma greve laboral contra o assédio sexual na empresa, em consonância com o movimento #MeToo.

Chuvas na Nigéria provocam 100 mortos, autoridades estimam que número aumente

As autoridades nigerianas afirmaram que 100 pessoas morreram devido às inundações provocadas pelas chuvas fortes que se fizeram sentir no país nos últimos dias.

Mais de 600 estradas bloqueadas em Hong Kong após passagem do tufão Mangkhut

Mais de 600 estradas estão bloqueadas em Hong Kong devido aos destroços provocados pela passagem do tufão Mangkhut, no domingo, que deixou mais de 200 feridos naquele território, noticiou hoje um jornal local.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.