Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

População do Havai recebe falso alerta de ameaça de míssil

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Washington, 13 jan (Lusa) - A população do Havai, nos Estados Unidos, recebeu um falso alerta, via telemóvel, de ameaça de um míssil balístico que alegadamente se dirigiria para aquele estado norte-americano.

O alerta foi enviado hoje de manhã para todos os habitantes do Havai, com a informação de que estaria iminente um ataque com um míssil balístico contra aquele território.

Pouco depois, o senador democrata do Havai, Tulsi Gabbard, e a Agência de Gestão de Emergências garantiram, através da rede social Twitter, que o alerta era falso e que não havia qualquer ameaça. O porta-voz do Comando do Pacífico dos Estados Unidos, David Benham, explicou que a mensagem foi enviada por erro.

No entanto, o governador do Havai, David Ige, afirmou que quer mais explicações porque este tipo de incidentes não pode acontecer.

"A população tem de confiar no nosso sistema de alertas de emergência", sublinhou David Ige.

Este episódio aconteceu numa altura de tensão entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte, por causa do programa nuclear desenvolvido por Pyongyang.

SS // JPF

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Macau com recorde de 32,6 milhões de visitantes em 2017

Macau bateu um novo recorde ao receber mais de 32,6 milhões de visitantes em 2017, revelam dados preliminares divulgados esta quarta-feira pela Direção dos Serviços de Turismo (DST) que antecipa, para este ano, um crescimento de 1 a 3%.

Reservas angolanas podem descer 50% mantendo-se nível de despesas em moeda estrangeira

Luanda, 18 jan (Lusa) - As reservas de divisas em Angola poderão registar este ano uma quebra de cerca de 50% a manter-se o mesmo nível de despesas em moeda estrangeira, afirmou hoje em Luanda o governador do Banco Nacional de Angola (BNA).

Guterres avisa que ameaça das armas de destruição em massa está a ganhar força

Nações Unidas, 18 jan (Lusa) -- O secretário-geral da ONU, António Guterres, avisou hoje que a ameaça das armas de destruição em massa está a ganhar força, apelando a um novo impulso das políticas internacionais de não proliferação.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.