Jornal Diário Jornal das 13

Macron apela a "todas as partes" respeito por acordo nuclear com Irão

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Paris, 13 jan (Lusa) - O presidente de França, Emmanuel Macron, afirmou hoje, numa conversa telefónica com o primeiro-ministro de Israel, que o acordo nuclear com o Irão deve ser respeitado "por todas as partes".

"O Presidente da República apelou para a importância de se manter o acordo nuclear iraniano e que todas as partes respeitem os seus compromissos assumidos no contexto desse acordo", afirmou o Eliseu em comunicado.

Emmanuel Macron e Benjamin Netanyahu concordaram na "necessidade de cooperar sobre a questão balística e sobre as atividades do Irão, como a França propôs depois de setembro de 2017", mas o primeiro-ministro israelita exortou França a rever o acordo nuclear.

O Irão rejeita qualquer alteração ao acordo histórico sobre o armamento nuclear e tem o apoio de outros parceiros do acordo - Reino Unido, China, França, Alemanha, Rússia e União Europeia - com dos Estados Unidos.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, tem vindo a anunciar que vai "rasgar" o acordo de 2015 que pôs fim às sanções contra Teerão em troca de uma limitação ao programa nuclear iraniano.

Na sexta-feira, Trump confirmou a suspensão das sanções contra o Irão, levantadas no quadro do acordo, embora ressalvando que era "a última suspensão" que assinava.

SS // JPF

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Epidemia de cólera mata cerca de 100 pessoas na Nigéria

Uma epidemia de cólera matou quase 100 pessoas nas últimas duas semanas no nordeste da Nigéria, uma região devastada pelas ações do grupo extremista Boko Haram, informou este sábado a ONU.

Trabalhadores do McDonald's fizeram greve nos EUA contra o assédio sexual

Trabalhadores do McDonald's realizaram, na terça-feira, em dez cidades norte-americanas, uma greve laboral contra o assédio sexual na empresa, em consonância com o movimento #MeToo.

Chuvas na Nigéria provocam 100 mortos, autoridades estimam que número aumente

As autoridades nigerianas afirmaram que 100 pessoas morreram devido às inundações provocadas pelas chuvas fortes que se fizeram sentir no país nos últimos dias.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.