Info

Macron apela a "todas as partes" respeito por acordo nuclear com Irão

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Paris, 13 jan (Lusa) - O presidente de França, Emmanuel Macron, afirmou hoje, numa conversa telefónica com o primeiro-ministro de Israel, que o acordo nuclear com o Irão deve ser respeitado "por todas as partes".

"O Presidente da República apelou para a importância de se manter o acordo nuclear iraniano e que todas as partes respeitem os seus compromissos assumidos no contexto desse acordo", afirmou o Eliseu em comunicado.

Emmanuel Macron e Benjamin Netanyahu concordaram na "necessidade de cooperar sobre a questão balística e sobre as atividades do Irão, como a França propôs depois de setembro de 2017", mas o primeiro-ministro israelita exortou França a rever o acordo nuclear.

O Irão rejeita qualquer alteração ao acordo histórico sobre o armamento nuclear e tem o apoio de outros parceiros do acordo - Reino Unido, China, França, Alemanha, Rússia e União Europeia - com dos Estados Unidos.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, tem vindo a anunciar que vai "rasgar" o acordo de 2015 que pôs fim às sanções contra Teerão em troca de uma limitação ao programa nuclear iraniano.

Na sexta-feira, Trump confirmou a suspensão das sanções contra o Irão, levantadas no quadro do acordo, embora ressalvando que era "a última suspensão" que assinava.

SS // JPF

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Novo balanço de ataque em Estrasburgo dá conta de dois mortos e 14 feridos

O balanço do ataque ao mercado de Natal em Estrasburgo, na noite de terça-feira, foi revisto esta quarta-feira de manhã pela prefeitura de Bas-Rhin, que deu conta de dois mortos, sete feridos graves e sete feridos ligeiros.

Parlamento venezuelano declara que eleições de domingo são inexistentes

A Assembleia Nacional da Venezuela, onde a oposição detém a maioria, aprovou na terça-feira um acordo no qual se declara como inexistentes as eleições locais venezuelanas de domingo por, alegadamente, violarem a Constituição.

Freiras desviaram fundos de escola católica para jogar em Las Vegas

Duas freiras norte-americanas admitiram terem desviado fundos escolares estimados em 500 milhões de dólares para realizarem viagens aos casinos de Las Vegas, anunciou na segunda-feira a arquidiocese de Los Angeles.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.