Info

Santana Lopes diz que é "cúmulo da anedota" convite a Pacheco Pereira

| Política
Porto Canal com Lusa

 O candidato a líder do PSD Pedro Santana Lopes disse esta sexta-feira ser o "cúmulo da anedota" o convite a Pacheco Pereira para formar um novo partido e garantiu que, em 2011, estava a apoiar Passos Coelho.

"Chegamos ao cúmulo da anedota, que é dizer-se que poderia acontecer que eu quisesse fazer uma outra força política imaginem com quem. Era como se o presidente da Coreia do Norte quisesse ir ao cinema com o presidente Trump (EUA), era mais ou menos a mesma situação", afirmou num discurso a militantes e apoiantes em Lamego.

E continuou: "ou era como se o senhor Rajoy quisesse formar um partido político com o senhor Puigdemont, a probabilidade é exatamente a mesma".

"A questão é esta, é que ninguém, muitos menos essas pessoas, me dão lições de combate no PPD-PSD e de amor ao PPD-PSD", salientou, nem nunca referiu o nome de Pacheco Pereira.

Na quinta-feira à noite, o ex-líder parlamentar do PSD Pacheco Pereira disse no programa Quadratura do Círculo, da SIC Notícias, ter sido convidado por Santana Lopes para fundar um novo partido para disputar eleições com o PSD.

Segundo Pacheco Pereira, em 2011 Santana Lopes "queria fazer um outro partido" (...) estava muito indignado" (...). Queria formar um novo partido e não era um movimento. E agora não venha dizer que nunca atuou contra o PSD, que nunca atacou Passos Coelho".

Hoje, durante um almoço com militantes em Lamego, Santana Lopes fez questão de mostrar uma fotografia em que está a abraçar Passos Coelho e contou que foi tirada em maio de 2011, num comício em Almada onde esteve a apoiar o ainda líder social-democrata.

Santana Lopes disse ainda que há "calúnias" às quais é indiferente por causa da sua "couraça forte", mas considerou que há "limites para os golpes", nomeadamente nas "questões de caráter".

"Porque quando uma pessoa tem uma conversa gravíssima e só oito anos depois é que se lembra dela, vésperas de uma eleição, acho que está tudo dito. A minha maneira de estar na vida não é essa", frisou.

+ notícias: Política

"O PS continua a ser muito permeável a conjunto de interesses"

Mariana Mortágua, deputada do Bloco de Esquerda, afirma que o Partido Socialista "continua a ser muito permeável a conjunto de interesses que sempre moldaram a atuação" dos socialista e que isso se reflete na hora de votar.

Mariana Mortágua defende que a Caixa Geral de Depósitos devia financiar setores estratégicos para o país

Mariana Mortágua, deputada do Bloco de Esquerda, afirma que o Governo, em coordenação com o Parlamento, deveria definir a estratégia de atividade da Caixa Geral de Depósitos para se "evitar financiar atividades especulativas de empresários aventureiros" e dar prioridade a financiar setores estratégicos para o país.

Ministra Marta Temido encabeça lista do PS pelo círculo de Coimbra

 A ministra da Saúde, Marta Temido, vai encabeçar a lista socialista pelo círculo eleitoral de Coimbra nas próximas eleições legislativas, disse à agência Lusa a secretária-geral adjunta do PS, Ana Catarina Mendes.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS