Info

Condutor que fugiu à GNR de Castelo Branco na quarta-feira continua a monte

| País
Porto Canal com Lusa

Castelo Branco, 12 jan (Lusa) - A GNR de Castelo Branco continua a patrulhar o terreno para encontrar o condutor que na quarta-feira se pôs em fuga após uma ação de fiscalização na localidade de Maxiais e que resultou em agressões a um militar.

"Foram tomadas as medidas convenientes e está a dar-se seguimento a essas medidas", disse hoje à agência Lusa fonte do Destacamento Territorial de Castelo Branco da GNR.

A mesma fonte adiantou que, até ao momento, a situação mantém-se, com o condutor em fuga.

O fugitivo não obedeceu à ordem de paragem, dada pelos militares da GNR durante uma ação de fiscalização, na quarta-feira, próximo da localidade de Maxiais, colocando-se em fuga.

A viatura onde seguiam mais quatro pessoas, três mulheres e um homem, foi perseguida pelas autoridades e acabou por se imobilizar depois de se despistar.

Um dos militares conseguiu apanhar o condutor, mas acabou por ser agredido com pedras, alegadamente pelas mulheres que seguiam na viatura, tendo o condutor encetado uma fuga a pé.

Na quinta-feira, as alegadas agressoras, duas mulheres, foram presentes ao Tribunal de Castelo Branco, que lhes decretou, como medida de coação, a apresentação periódica às autoridades.

CAYC // SSS

Lusa/Fim

+ notícias: País

84% das corporações de bombeiros deixaram de reportar informações aos CDOS

A Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) revelou hoje que 84% das corporações de bombeiros deixaram de reportar aos comandos distritais de operações de Socorro (CDOS) qualquer informação operacional, protesto que a LBP diz ir continuar "por tempo indeterminado".

Chuva regressa a Portugal continental a partir de quarta-feira

O estado do tempo em Portugal continental vai mudar a partir de quarta-feira, dia em que se prevê períodos de chuva a partir do final da tarde em todo o território, disse à Lusa a meteorologista Paula Leitão.

Proteção Civil do Porto avisa que os bombeiros podem perder receita se não reportarem ocorrências

O presidente da Comissão Distrital da Proteção Civil do Porto, Marco Martins, disse esta segunda-feira que não reportar as ocorrências ao Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) pode significar "perda de receita" para os corpos de bombeiros.

Atualizado 11-12-2018 11:46

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.