Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

ONU considera "chocantes" e "racistas" declarações injuriosas de Trump sobre Haiti e África

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Genebra, Suíça, 12 jan (Lusa) -- A ONU considerou hoje "chocantes", "vergonhosas" e "racistas" as declarações de Donald Trump divulgadas pelos media sobre várias nações africanas e o Haiti, que o Presidente norte-americano qualificou de "países de merda" durante uma reunião na Casa Branca.

"Se for confirmado, trata-se de comentários chocantes e vergonhosos da parte do Presidente dos Estados Unidos. Lamento, mas não há outra palavra do que 'racistas'", declarou o porta-voz do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos, Rupert Colville, numa conferência de imprensa em Genebra.

Ao rejeitar na quinta-feira um acordo de imigração bipartidário, Trump questionou a razão por que os Estados Unidos aceitariam mais imigrantes do Haiti e de "países de merda" ("shithole countries") em África em vez de países como a Noruega.

O jornal The Washington Post divulgou as declarações, citando fontes próximas, e o diário Los Angeles Times também corroborou a informação.

"Não é apenas uma questão de vulgaridade de linguagem", assinalou Colville, observando não ser tolerável denegrir nações e continentes inteiros designando-os de "países de merda" e considerar que a sua "população, que não é branca, não é bem-vinda".

Estas declarações mostram o "pior lado da humanidade, validando e encorajando o racismo e a xenofobia", afirmou o porta-voz.

PAL // FPA

Lusa/fim

+ notícias: Mundo

Macau com recorde de 32,6 milhões de visitantes em 2017

Macau bateu um novo recorde ao receber mais de 32,6 milhões de visitantes em 2017, revelam dados preliminares divulgados esta quarta-feira pela Direção dos Serviços de Turismo (DST) que antecipa, para este ano, um crescimento de 1 a 3%.

Brexit: Parlamento britânico aprova lei do Governo para saída da União Europeia

Londres, 17 jan (Lusa) - O parlamento britânico aprovou hoje um projeto de lei para a saída do Reino Unido da União Europeia, concluindo-se a última etapa de um percurso tumultuoso para o Governo liderado por Theresa May.

PM demitido da Guiné-Bissau diz que sai sem mágoa do Presidente

Bissau, 17 jan (Lusa) -- O antigo primeiro-ministro guineense Umaro Sissoco Embaló, demitido segunda-feira, afirmou hoje que não tem nenhuma mágoa em relação ao Presidente guineense, José Mário Vaz, a quem prometeu que guardará "respeito por toda vida".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.