Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

Bombeiros não conseguiram eliminar combustão em resíduos de antiga mina

| Norte
Porto Canal com Lusa

Castelo de Paiva, Aveiro, 10 jan (Lusa) - O comandante dos Bombeiros de Castelo de Paiva disse hoje à Lusa que a corporação não conseguiu extinguir a combustão nos resíduos de carvão das Minas do Pejão, depois de uma tarde inteira a lançar água.

Joaquim Rodrigues explicou que os meios dos bombeiros estiveram recentemente no local para tentar, sem sucesso, acabar com o problema que se observa há vários meses, mas o facto de os resíduos se encontrarem a grande profundidade impediu a extinção definitiva da combustão.

O comandante explicou que esteve também hoje no local acompanhado do responsável da proteção civil distrital e de um vereador, que registaram o problema, aguardando-se agora uma solução técnica eficaz.

Foi também decidido comunicar ao Ministério do Ambiente o que se está a passar, com o pedido de uma avaliação do risco e de uma rápida solução.

A combustão foi desencadeada pelo incêndio do dia 25 de outubro que afetou aquela zona de Castelo de Paiva. Desde esse dia que se têm observado sinais de que algo estaria a arder no interior de depósito de resíduos da exploração mineira que foi desativada em dezembro de 1994.

Joaquim Rodrigues disse que os resíduos têm uma altura de 15 a 20 metros e os gases que resultam da combustão têm um cheiro intenso.

"Está a arder muito no fundo", exclamou, sugerindo que terão de ser utilizadas máquinas para resolver o problema, como foi comunicado à câmara municipal.

Questionado sobre se os gases que se sentem na freguesia poderão ser perigosos para a saúde da população, respondeu que só as autoridades, às quais foi reportada a situação, é que poderão responder.

APM // MSP

Lusa/fim

+ notícias: Norte

Criada brigada de sapadores florestais do Tâmega e Sousa

A brigada de sapadores florestais criada para o Tâmega e Sousa envolverá três equipas, num total de 15 elementos, e terá sede em Baião, concelho com a maior mancha florestal do distrito do Porto.

António Coelho: desde 1983 a construir cascatas sanjoaninas

A menos de uma semana do São João, o Porto Canal foi conhecer a obra de António Coelho que desde a década de 80 que se dedica a construir cascatas sanjoaninas.

"Unidos contra o despejo": dezenas de pessoas protestam junto à Câmara Municipal do Porto

Dezenas de pessoas manifestaram-se, na passada segunda-feira à tarde, junto à Câmara Municipal do Porto, por causa das dificuldades com a habitação no centro histórico da 'invicta'. Os despejos foram o principal problema apontado, num protesto marcado para a mesma hora da Assembleia Municipal.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.