Jornal Diário Jornal das 13

Bombeiros não conseguiram eliminar combustão em resíduos de antiga mina

| Norte
Porto Canal com Lusa

Castelo de Paiva, Aveiro, 10 jan (Lusa) - O comandante dos Bombeiros de Castelo de Paiva disse hoje à Lusa que a corporação não conseguiu extinguir a combustão nos resíduos de carvão das Minas do Pejão, depois de uma tarde inteira a lançar água.

Joaquim Rodrigues explicou que os meios dos bombeiros estiveram recentemente no local para tentar, sem sucesso, acabar com o problema que se observa há vários meses, mas o facto de os resíduos se encontrarem a grande profundidade impediu a extinção definitiva da combustão.

O comandante explicou que esteve também hoje no local acompanhado do responsável da proteção civil distrital e de um vereador, que registaram o problema, aguardando-se agora uma solução técnica eficaz.

Foi também decidido comunicar ao Ministério do Ambiente o que se está a passar, com o pedido de uma avaliação do risco e de uma rápida solução.

A combustão foi desencadeada pelo incêndio do dia 25 de outubro que afetou aquela zona de Castelo de Paiva. Desde esse dia que se têm observado sinais de que algo estaria a arder no interior de depósito de resíduos da exploração mineira que foi desativada em dezembro de 1994.

Joaquim Rodrigues disse que os resíduos têm uma altura de 15 a 20 metros e os gases que resultam da combustão têm um cheiro intenso.

"Está a arder muito no fundo", exclamou, sugerindo que terão de ser utilizadas máquinas para resolver o problema, como foi comunicado à câmara municipal.

Questionado sobre se os gases que se sentem na freguesia poderão ser perigosos para a saúde da população, respondeu que só as autoridades, às quais foi reportada a situação, é que poderão responder.

APM // MSP

Lusa/fim

+ notícias: Norte

Hospital de São João quer aproveitar projeto antigo para novo Centro Pediátrico

O Centro Hospitalar de São João, no Porto, está a "auscultar os serviços jurídicos" sobre a possibilidade de poder aproveitar o projeto existente para a construção do novo Centro Pediátrico, anunciou hoje o presidente da administração daquele hospital.

Ministério Público está a investigar o caso dos dois doentes em isolamento numa instituição em Bragança

O Ministério Público está a investigar o caso dos dois doentes que estão em isolamento há vários anos numa instituição em Bragança. O caso foi denunciado pelo Porto canal há dois meses. Depois disso, quase nada foi feito apesar da própria instituição pedir mais formação para lidar com os doentes, as entidades responsáveis continuam a dizer que os utentes vivem em condições adequadas.

100 semáforos geridos pela Metro do Porto em Matosinhos não têm sinal sonoro

Há 100 semáforos geridos pela Metro do Porto no concelho de Matosinhos que não têm avisos sonoros. A funcionalidade vai começar a ser instalada, uma vez que os sinais sonoros são indispensáveis para os invisuais.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.