Info

Bombeiros não conseguiram eliminar combustão em resíduos de antiga mina

| Norte
Porto Canal com Lusa

Castelo de Paiva, Aveiro, 10 jan (Lusa) - O comandante dos Bombeiros de Castelo de Paiva disse hoje à Lusa que a corporação não conseguiu extinguir a combustão nos resíduos de carvão das Minas do Pejão, depois de uma tarde inteira a lançar água.

Joaquim Rodrigues explicou que os meios dos bombeiros estiveram recentemente no local para tentar, sem sucesso, acabar com o problema que se observa há vários meses, mas o facto de os resíduos se encontrarem a grande profundidade impediu a extinção definitiva da combustão.

O comandante explicou que esteve também hoje no local acompanhado do responsável da proteção civil distrital e de um vereador, que registaram o problema, aguardando-se agora uma solução técnica eficaz.

Foi também decidido comunicar ao Ministério do Ambiente o que se está a passar, com o pedido de uma avaliação do risco e de uma rápida solução.

A combustão foi desencadeada pelo incêndio do dia 25 de outubro que afetou aquela zona de Castelo de Paiva. Desde esse dia que se têm observado sinais de que algo estaria a arder no interior de depósito de resíduos da exploração mineira que foi desativada em dezembro de 1994.

Joaquim Rodrigues disse que os resíduos têm uma altura de 15 a 20 metros e os gases que resultam da combustão têm um cheiro intenso.

"Está a arder muito no fundo", exclamou, sugerindo que terão de ser utilizadas máquinas para resolver o problema, como foi comunicado à câmara municipal.

Questionado sobre se os gases que se sentem na freguesia poderão ser perigosos para a saúde da população, respondeu que só as autoridades, às quais foi reportada a situação, é que poderão responder.

APM // MSP

Lusa/fim

+ notícias: Norte

PJ detém cinco empresários por associação criminosa e fraude fiscal no Norte

Cinco empresários foram detidos na Operação Dennis da PJ que desarticulou uma "associação criminosa" por crimes de fraude fiscal, branqueamento, recebimento indevido de vantagem e participação económica em negócio, entre outros, no Norte do país.

Leça da Palmeira: Monte de Santana pode estar a colocar em risco moradores

Os moradores que vivem junto ao Monte de Santana, em Leça da Palmeira, estão alarmados com a constante queda de pedras do talude. A Câmara Municipal de Matosinhos diz que essa parte do terreno é responsabilidade dos moradores e não da autarquia mas garante que não há perigo de derrocada. Ainda assim, quem ali mora, sente-se inseguro.

Estrada A29 reaberta nove horas depois de ter sido cortada em Gaia

A circulação no sentido sul/norte da A29, em São Félix da Marinha (Gaia), foi esta terça-feira retomada às 16h20, nove horas após o corte devido a um acidente com um pesado e cinco ligeiros, disseram fontes oficiais.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.