Info

Juncker diz que paragem do processo do Brexit depende dos britânicos

Juncker diz que paragem do processo do Brexit depende dos britânicos
| Mundo
Porto Canal com Lusa

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, disse hoje que depende do Parlamento e povo britânicos a decisão sobre uma eventual interrupção do processo do 'Brexit'.

Questionado pelos jornalistas sobre a eventualidade de o Reino Unido não chegar a abandonar a União Europeia (UE), Juncker salientou que "isso depende do Parlamento britânico e do povo britânico".

"Não nos compete decidir o que os britânicos têm que fazer", adiantou, em declarações à entrada para o segundo e último dia do Conselho Europeu, com o 'Brexit' na agenda.

Juncker reiterou que o processo de 'divórcio' entre o Reino Unido e a UE é "difícil", elogiando os esforços da primeira-ministra britânica, Theresa May, para se chegar a um acordo sobre a primeira fase das negociações.

Os líderes dos 27 deverão hoje dar o aval para a passagem à segunda fase negocial, seguindo a recomendação nesse sentido da Comissão Europeia.

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, referiu já que a segunda fase das negociações em torno do 'Brexit' -- as relações futuras entre UE a 27 e Reino Unido - constituirá "o verdadeiro teste à unidade" dos 27.

+ notícias: Mundo

Freiras desviaram fundos de escola católica para jogar em Las Vegas

Duas freiras norte-americanas admitiram terem desviado fundos escolares estimados em 500 milhões de dólares para realizarem viagens aos casinos de Las Vegas, anunciou na segunda-feira a arquidiocese de Los Angeles.

Brexit: Tribunal Europeu decidiu que Reino Unido pode revogar o acordo unilateralmente

O Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE) decidiu esta segunda-feira que o Reino Unido tem a capacidade de revogar de forma unilateral o artigo 50 dos tratados europeus, que iniciou o processo da sua saída da UE, o "Brexit".

Perto de 2.000 identificados nos protestos dos "coletes amarelos" em França

Perto de 2.000 pessoas foram identificadas em França no sábado no âmbito dos protestos dos "coletes amarelos" que levaram às ruas cerca de 136.000 manifestantes, indicou este domingo o Ministério do Interior.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.