Jornal Diário Jornal das 13

Juncker diz que paragem do processo do Brexit depende dos britânicos

Juncker diz que paragem do processo do Brexit depende dos britânicos
| Mundo
Porto Canal com Lusa

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, disse hoje que depende do Parlamento e povo britânicos a decisão sobre uma eventual interrupção do processo do 'Brexit'.

Questionado pelos jornalistas sobre a eventualidade de o Reino Unido não chegar a abandonar a União Europeia (UE), Juncker salientou que "isso depende do Parlamento britânico e do povo britânico".

"Não nos compete decidir o que os britânicos têm que fazer", adiantou, em declarações à entrada para o segundo e último dia do Conselho Europeu, com o 'Brexit' na agenda.

Juncker reiterou que o processo de 'divórcio' entre o Reino Unido e a UE é "difícil", elogiando os esforços da primeira-ministra britânica, Theresa May, para se chegar a um acordo sobre a primeira fase das negociações.

Os líderes dos 27 deverão hoje dar o aval para a passagem à segunda fase negocial, seguindo a recomendação nesse sentido da Comissão Europeia.

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, referiu já que a segunda fase das negociações em torno do 'Brexit' -- as relações futuras entre UE a 27 e Reino Unido - constituirá "o verdadeiro teste à unidade" dos 27.

+ notícias: Mundo

Trabalhadores do McDonald's fizeram greve nos EUA contra o assédio sexual

Trabalhadores do McDonald's realizaram, na terça-feira, em dez cidades norte-americanas, uma greve laboral contra o assédio sexual na empresa, em consonância com o movimento #MeToo.

Chuvas na Nigéria provocam 100 mortos, autoridades estimam que número aumente

As autoridades nigerianas afirmaram que 100 pessoas morreram devido às inundações provocadas pelas chuvas fortes que se fizeram sentir no país nos últimos dias.

Mais de 600 estradas bloqueadas em Hong Kong após passagem do tufão Mangkhut

Mais de 600 estradas estão bloqueadas em Hong Kong devido aos destroços provocados pela passagem do tufão Mangkhut, no domingo, que deixou mais de 200 feridos naquele território, noticiou hoje um jornal local.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.