Jornal Diário Jornal das 13

Apoio do Banco Africano de Desenvolvimento abre "avenida nova de financiamento"

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 14 nov (Lusa) -- A diretora-geral da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) considerou hoje que o apoio do Banco Africano de Desenvolvimento "é fundamental" e que abre uma "avenida nova de financiamento" na CPLP.

Para a diretora-geral da CPLP, Georgina Melo, que falava após um encontro com o presidente daquela instituição, Akinwumi Adesina, o apoio do BAD é fundamental e "abre uma avenida nova de financiamento" para os projetos que estão em preparação.

"Vamos entrar, abrimos novas avenidas de financiamento e isso dá-nos um alento muito grande", vincou Georgina Melo.

"O banco quer a nossa cooperação em muitas das intervenções que planeia porque muitas coincidem com as nossas prioridades", disse a responsável à Lusa, no final da reunião com Adesina.

Para Georgina Melo, a visita do presidente do BAD e a promessa de acesso a verbas para projetos na lusofonia é uma das consequências do trabalho interno feito nos últimos anos.

"Temos vindo a preparar a CPLP para se candidatar e ter acesso a fundos de outras entidades e instituições financeiras internacionais para financiar projetos, e esta reunião mostra que os preparativos que fizemos em termos de organização e instrumentos de controlo financeiro interno estão a dar resultados e assim podemos projetar a CPLP, em termos de financiamento, para programas e projetos do século XXI", concluiu a diretora-geral.

MBA // VM

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Eixo Atlântico quer ligação direta entre a Linha do Minho e o Aeroporto do Porto

O eixo atlântico quer uma ligação direta entre a Linha do Minho e o Aeroporto do Porto. Esta é uma das propostas que o grupo de autarcas do Norte de Portugal e da Galiza já levou ao Ministro do Planeamento e das Infraestruturas e que pode vir a ser incluída no Programa Nacional de Investimentos 2030.

Hotéis com menor taxa de ocupação mas preços mais altos num julho "frio"

A taxa de ocupação na hotelaria portuguesa recuou 2,3 pontos percentuais em julho face ao mês homólogo, para 80%, mas o preço médio por quarto ocupado aumentou 11%, para 117 euros, divulgou esta segunda-feira a associação setorial.

Portugal com segunda menor taxa de vagas de emprego no 2º trimestre

A taxa de vagas de emprego no segundo trimestre fixou-se nos 2,1% na zona euro e nos 2,2% na União Europeia (UE), com Portugal a apresentar a segunda mais fraca (0,9%), segundo o Eurostat.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.