Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Tribunal decide pena de 12 anos de prisão para homem que matou vizinho a tiro em Viana do Castelo

Tribunal decide pena de 12 anos de prisão para homem que matou vizinho a tiro em Viana do Castelo
| Norte
Porto Canal com Lusa

O Supremo Tribunal de Justiça (STJ) fixou em 12 anos de prisão a pena para um homem de Viana do Castelo que matou um vizinho com cinco tiros de caçadeira, anunciou a Procuradoria-Geral Distrital do Porto.

Em 2016, o tribunal de júri da comarca de Viana do Castelo tinha condenado o homicida a uma pena de 16 anos de prisão, que baixou para 12 anos por acórdão do Tribunal da Relação de Guimarães. Na sequência de novo recurso, o STJ veio a manter a condenação em 12 anos.

"Os factos provados remontam a abril de 2015, pelas 22:00, e sucederam em Darque, Viana do Castelo. Resultou provado que o arguido decidiu tirar a vida a um seu vizinho, atraindo-o a um local isolado, sob pretexto de combinarem um negócio e que tendo este aí chegado lhe desferiu cinco tiros de caçadeira, atingindo-o na cabeça e no tronco e provocando-lhe a morte", lê-se numa nota publicada na página na internet da Procuradoria-Geral Distrital do Porto.

Acrescenta a nota que, "posteriormente aos factos, impossibilitado de abandonar o local por ter ficado com o veículo automóvel em que se transportava atolado na areia, o arguido cogitou uma versão que o ilibasse e relatou falsamente à PSP que tinha sido vítima de roubo".

+ notícias: Norte

Autarca de Santa Comba Dão garante que não vai faltar água no concelho

O autarca de Santa Comba Dão garante que a mega operação de transporte de água da Aguieira para Fagilde não vai afetar o concelho, ja que o abastecimento é garantido pelas águas do planalto beirão. O autarca afirma ainda que mesmo que afetasse, todos teriam de ser solidários com os municipios que estão a enfrentar graves problemas de seca.

Sede do Infarmed mudada para o Porto

A sede da autoridade nacional do medicamento (Infarmed) vai ser mudada de Lisboa para o Porto, anunciou hoje o ministro da Saúde.

Ajustes diretos na Universidade do Minho investigados pela Inspeção-Geral da Educação e Ciência

A Universidade do Minho está a ser investigada por alegados ajustes diretos a professores. Em causa estará a aquisição de bens e serviços, sem concurso, a empresas detidas por docentes ou ex-docentes da instituição. A Inspeção-Geral da Educação e Ciência remeteu o caso para o Ministério Público.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS