Jornal Diário Jornal das 13

Coligação liderada pela Arábia Saudita bombardeia Ministério da Defesa iemenita

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Sanaa, 11 nov (Lusa) -- Pelo menos sete pessoas ficaram feridas num bombardeamento da coligação liderada pela Arábia Saudita, na noite de sexta-feira, contra a sede do Ministério da Defesa do Iémen, em Sanaa, que atingiu vários edifícios residenciais, avançou agência Efe.

Um míssil destruiu uma casa e causou graves danos noutros edifícios situados atrás da sede do ministério, localizada no bairro de Al Saada, constatou a agência espanhola.

Segundo moradores da zona ouvidos pela Efe, os aviões da coligação lançaram um primeiro míssil, com impacto nas instalações ministeriais, e um segundo que deixou um grande buraco no chão.

A rua ficou repleta de terra e escombros e muitos veículos estacionados na via foram afetados.

"Houve uma explosão enorme que fez tremer a casa, como se fosse um sismo", disse à agência Husein Nayi, morador da zona, descrevendo como pedras e destroços que se desprenderam com a explosão começaram a cair.

Ali Shairi, outro morador, contou que "a primeira explosão foi no Ministério da Defesa e, depois, saímos de casa com as mulheres e as crianças, fugindo".

"Apenas um minuto depois, deu-se um segundo ataque mesmo aqui, mas continuámos a correr, não se via nada, não sei como conseguimos fugir, caiam pedras em cima de nós enquanto corríamos", contou Shairi.

O ataque contra a sede do ministério acontece depois de, no passado dia 04, os rebeldes 'huthis' terem disparado um míssil balístico contra a capital da Arábia Saudita, Riade. As autoridades sauditas responsabilizaram o Irão pelo ataque e ameaçaram declará-lo um ato de guerra.

A Arábia Saudita, que lidera uma coligação de países, combate os rebeldes 'huthis' desde março de 2015 e apoia o Presidente Abdo Rabu Mansur Hadi, que vive exilado em Riade.

ISG//ISG

Lusa/fim

+ notícias: Mundo

Chuvas na Nigéria provocam 100 mortos, autoridades estimam que número aumente

As autoridades nigerianas afirmaram que 100 pessoas morreram devido às inundações provocadas pelas chuvas fortes que se fizeram sentir no país nos últimos dias.

Mais de 600 estradas bloqueadas em Hong Kong após passagem do tufão Mangkhut

Mais de 600 estradas estão bloqueadas em Hong Kong devido aos destroços provocados pela passagem do tufão Mangkhut, no domingo, que deixou mais de 200 feridos naquele território, noticiou hoje um jornal local.

Tufão causa pelo menos 64 mortos, 33 feridos e 45 desaparecidos nas Filipinas

O tufão Mangkhut causou 64 mortos e 33 feridos nas Filipinas, onde outras 45 pessoas continuam desaparecidas, de acordo com o último balanço da polícia local.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.