Info

Comediante Louis C.K. admite má-conduta sexual e diz lamentar o sofrimento causado

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Nova Iorque, 11 nov (Lusa) -- O comediante norte-americano Louis C.K. admitiu na sexta-feira, através de um comunicado, que se masturbou em frente de várias mulheres e disse lamentar o sofrimento que a sua conduta sexual causou.

As denúncias foram reveladas na quinta-feira pelo jornal The New York Times, que recolheu relatos de cinco mulheres, que descreveram casos em que o comediante se masturbou em frente delas ou ao telefone.

"Estas histórias são verdadeiras", respondeu Louis C.K. num comunicado divulgado na sexta-feira.

"Na altura, disse a mim próprio que o que fazia era aceitável porque nunca mostrei o meu pénis a uma mulher sem pedir primeiro, o que é verdade. Mas o que aprendi mais tarde na vida, demasiado tarde, é que quando tens poder sobre outra pessoa, pedir-lhe que olhe para o teu pénis não é um pedido. É uma situação difícil", afirmou.

O comediante admitiu ter exercido "de forma irresponsável" o poder que tinha sobre as mulheres que trabalhavam com ele. "Arrependo-me das minhas ações e tentei aprender com elas", acrescentou.

As denúncias publicadas no The New York Times foram feitas pelas comediantes Dana Min Goodman e Julia Wolov, que disseram que C.K. se despiu e masturbou à sua frente em 2002, depois de as convidar para o seu hotel após um espetáculo.

Outra mulher, Abby Schachner, explicou que em 2003 telefonou a Louis C.K. para o convidar para ir a um dos seus espetáculos, e ouviu-o a masturbar-se enquanto falavam ao telefone.

Rebecca Corry, outra comediante, afirmou que Louis C.K., com quem trabalhou num programa de televisão, lhe pediu autorização para se masturbar em frente dela, o que esta recusou.

A quinta mulher, a única não identificada, disse que o também ator e guionista, lhe pediu o mesmo várias vezes no final dos anos 1990, quando ambos trabalhavam para o programa "The Chris Rock Show".

"O maior arrependimento com que alguém tem de viver é o de ter magoado outra pessoa", disse.

"Passei a minha longa e afortunada carreira a falar e a dizer tudo o que queria. Agora vou afastar-me e passar um longo tempo a ouvir", conclui.

As acusações contra Louis C.K. surgem três anos após rumores sobre o assunto e em plena onda de denúncias de assédio sexual sobre várias figuras do mundo do espetáculo norte-americano, que começou com revelações sobre o produtor Harvey Weinstein.

A companhia independente norte-americana The Orchard cancelou a distribuição do mais recente projeto de Louis C.K., o filme "I love you Daddy".

ISG//ISG

Lusa/fim

+ notícias: Mundo

Freiras desviaram fundos de escola católica para jogar em Las Vegas

Duas freiras norte-americanas admitiram terem desviado fundos escolares estimados em 500 milhões de dólares para realizarem viagens aos casinos de Las Vegas, anunciou na segunda-feira a arquidiocese de Los Angeles.

Brexit: Tribunal Europeu decidiu que Reino Unido pode revogar o acordo unilateralmente

O Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE) decidiu esta segunda-feira que o Reino Unido tem a capacidade de revogar de forma unilateral o artigo 50 dos tratados europeus, que iniciou o processo da sua saída da UE, o "Brexit".

Perto de 2.000 identificados nos protestos dos "coletes amarelos" em França

Perto de 2.000 pessoas foram identificadas em França no sábado no âmbito dos protestos dos "coletes amarelos" que levaram às ruas cerca de 136.000 manifestantes, indicou este domingo o Ministério do Interior.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.