Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

Guterres diz que acabar com a violência contra os rohingyas "é uma prioridade"

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Nova Iorque, 10 nov (Lusa) -- O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, afirmou hoje que é "uma absoluta prioridade" acabar com a violência contra os rohingyas em Myanmar (antiga Birmânia), permitindo que a minoria muçulmana regresse às suas casas.

António Guterres afirmou que as Nações Unidas exigem também um "acesso humanitário sem obstáculos" a todas as áreas do estado de Rakhine, onde mais de 600 mil rohingyas viviam antes de fugir para o Bangladesh.

O secretário-geral vai participar numa iniciativa conjunta entre Nações Unidas e a Associação das Nações do Sudeste Asiático, onde vai abordar a questão dos rohingyas.

O líder de Myanmar, Aung San Suu Kyi, galardoado com o Prémio Nobel da Paz, que tem enfrentado a crescente condenação internacional para violência contra os rohingyas, deverá participar no encontro que vai decorrer nas Filipinas entre 10 e 14 de novembro.

A maioria budista de Myanmar não reconhece os rohingyas como um grupo étnico, defendendo que são migrantes bengalis que vivem ilegalmente no país, negando-lhes a cidadania.

"Insistimos na necessidade de garantir não só que toda a violência contra essa população pare, mas também insistimos na necessidade de reafirmar o direito de regresso", afirmou Guterres, salientando que o governo de Myanmar deve dar a cidadania à minoria muçulmana.

AJO // JPF

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Macau com recorde de 32,6 milhões de visitantes em 2017

Macau bateu um novo recorde ao receber mais de 32,6 milhões de visitantes em 2017, revelam dados preliminares divulgados esta quarta-feira pela Direção dos Serviços de Turismo (DST) que antecipa, para este ano, um crescimento de 1 a 3%.

Brexit: Parlamento britânico aprova lei do Governo para saída da União Europeia

Londres, 17 jan (Lusa) - O parlamento britânico aprovou hoje um projeto de lei para a saída do Reino Unido da União Europeia, concluindo-se a última etapa de um percurso tumultuoso para o Governo liderado por Theresa May.

PM demitido da Guiné-Bissau diz que sai sem mágoa do Presidente

Bissau, 17 jan (Lusa) -- O antigo primeiro-ministro guineense Umaro Sissoco Embaló, demitido segunda-feira, afirmou hoje que não tem nenhuma mágoa em relação ao Presidente guineense, José Mário Vaz, a quem prometeu que guardará "respeito por toda vida".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.