Info

Bombeiros voluntários sem receber despesas extraordinárias há quatro meses

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 10 nov (Lusa) -- As associações de bombeiros voluntários queixam-se de estar sem receber há quatro meses as despesas extraordinárias referentes aos incêndios florestais, uma situação que o Ministério da Administração Interna diz que vai resolver parcialmente nos próximos dias.

O alerta foi dado à agência Lusa pelo presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP), Jaime Marta Soares, avançando que a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) não paga, desde junho, às associações humanitárias de bombeiros voluntários as despesas extraordinárias dos incêndios florestais e previstas na diretiva financeira.

"Não foi pago o que está incluído na diretiva financeira desde junho", lamentou Jaime Marta Soares, sublinhando que as corporações de bombeiros estão a viver "uma situação complexa e difícil".

A diretiva financeira é um documento anual que fixa os princípios norteadores do pagamento das despesas resultantes das intervenções das corporações e permite apoiar os bombeiros na reparação e reposição de veículos e equipamentos, alimentação e combustível.

Segundo Jaime Marta Soares, em causa está todo o equipamento e material afetado pelos incêndios, além dos combustíveis e despesas com alimentação.

Numa resposta enviada à Lusa, o Ministério da Administração Interna (MAI) refere que o pagamento referente aos meses de julho e agosto, no valor de 6,4 milhões de euros, será efetuado nos próximos dias.

O MAI adianta também que estão em fase de apuramento final os montantes referentes aos meses de setembro e outubro, fazendo parte destas despesas extraordinárias a reposição e reparação de viaturas e equipamentos, refeições e salários perdidos.

A LBP deu também conta à Lusa que os bombeiros voluntários que fizeram parte das Equipas de Combate a Incêndios (ECIN) no âmbito do reforço do dispositivo em outubro ainda não receberam qualquer compensação.

Jaime Marta Soares exige que o pagamento seja efetuado o mais rapidamente, uma vez que as corporações de bombeiros não têm disponibilidade financeira para avançar com a compensação, tendo já contactado o secretário de Estado da Proteção Civil, Artur Tavares Neves.

Segundo a LBP, quase 1.000 bombeiros voluntários integraram as ECIN, a partir de 09 de outubro, no âmbito do reforço do dispositivo de combate a incêndios.

Na resposta enviada à Lusa, o MAI refere que o pagamento das compensações às Equipas de Combate a Incêndios no mês de outubro, incluindo o dispositivo que estava previsto, os reforços e o prolongamento para a segunda quinzena de outubro, será efetuado nos próximos dias.

CMP // PMC

Lusa/Fim

+ notícias: Política

Tancos: Ministério da Defesa investiga procedimento da PJ Militar

O Ministério da Defesa determinou a 04 de outubro a realização de uma “auditoria extraordinária aos procedimentos internos” da Polícia Judiciária Militar (PJM), na sequência da recuperação do material militar roubado dos paióis de Tancos no ano passado.

Câmara de Vila Real lança segunda-feira campanha sobre perigo na A24

A Câmara de Vila Real disse que vai colocar painéis nas entradas da Autoestrada 24 (A24) para alertar os automobilistas para os “perigos e falhas” da via, uma iniciativa apoiada pela Comunidade Intermunicipal do Douro (CIM Douro).

Tancos: Presidente da República garante desconhecer factos sobre reaparecimento das armas

O Presidente da República garantiu este sábado à Agência Lusa desconhecer os factos na base do desaparecimento e reaparecimento das armas de Tancos, recordando que tem insistido na exigência do esclarecimento de "toda a verdade, doa a quem doer".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.