Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Puidgemont anuncia "estrutura" de governo para a Catalunha a partir da Bélgica

Puidgemont anuncia "estrutura" de governo para a Catalunha a partir da Bélgica
| Mundo
Porto Canal com Lusa

O ex-presidente do governo autónomo da Catalunha, Carles Puidgemont, anunciou hoje a criação de uma "estrutura estável" para coordenar no estrangeiro as ações do autoproclamado governo que considera legítimo.

No documento "Carta da Bélgica que está a ser difundida por vários órgãos de comunicação social da Catalunha, Puidgemont dirige-se aos catalães assegurando "que o governo legítimo vai cumprir as suas obrigações".

Carles Puigdemont, autoproclamado presidente após a declaração unilateral de independência da República da Catalunha, encontra-se em Bruxelas na companhia de outros cinco membros destituídos do governo autónomo.

Puidgemont diz que é consciente da desorientação causada pela falta de respostas rápidas por parte dos "representantes e instituições legitimos" e, por isso, tenciona promover uma estrutura capaz de cumprir com as "obrigações".

"Apoiados por uma estrutura estável que pomos em marcha a partir de hoje para coordenar as ações do 'Govern' (autoproclamado governo independente) para a denúncia da politização da justiça espanhola e a sua falta de imparcialidade e vontade de perseguir ideiais", refere o documento.

Puigdemont reafirma "a aposta do povo catalão pelo direito à 'autodeterminação', pelo diálogo e por uma solução negociada".

A carta denuncia ainda o que considera "decadência democrática do Estado espanhol" que, afirma, atua de forma "vergonhosa" e "repressiva" sob a tolerância da União Europeia.

Carles Puigdemont indica que o "plano" para as próximas semanas é "claro" e que perante a aplicação do artigo 155 da Constituição é preciso "fortalecer democraticamente" as instituições que foram captadas por um "golpe de Estado", referindo-se ao artido constitucional.

"Por isso temos as eleições que propõe o Estado espanhol no dia 21 (de dezembro) com o objetivo para recuperar a democracia plena, sem presos, sem vinganças, sem imposições, sem fúria e cheio de futuro, diálogo e consenso", escreve.

Outro elemento central do plano de Puigdemont é conseguir a libertação do que considera "presos políticos" que se encontram sequestrados pelo Estado espanhol referindo-se aos ex-vice-presidente da Generalitat e outros sete ex-membros do governo autónomo, destituídos e que são acusados dos crimes de rebelião, sedição e má gestão de fundos públicos.

"É preciso denunciarmos a situação todos os dias e que no próximo sábado sejamos milhares no 'Dia Nacional pela Liberdade' que foi convocado em Barcelona", diz referindo-se á manifestação organizada pelas organizações Òmnium Cultural e Assembleia Nacional Catalã (ANC).

+ notícias: Mundo

Atentado no nordeste da Nigéria faz pelo menos 50 mortos

MaidugPelo menos 50 pessoas morreram num atentado suicida numa mesquita no nordeste da Nigéria, disse o porta-voz da polícia do estado de Adamawa.

Morreu Charles Manson, um dos criminosos mais famosos dos Estados Unidos

Um dos criminosos mais famosos dos Estados Unidos Charles Manson, líder de uma seita que nos anos 1960 matou várias pessoas, morreu com 83 anos no domingo à noite, anunciaram responsáveis da administração penitenciária da Califórnia.

PR angolano nomeia novo juiz presidente para o Tribunal Constitucional

Luanda, 21 nov (Lusa) - O Presidente angolano, João Lourenço, designou hoje Manuel Miguel da Costa Aragão, que até agora presidia ao Tribunal Supremo, para juiz conselheiro presidente do Tribunal Constitucional, anunciou a Presidência da República.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS