Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Bruxelas revê em alta crescimento na zona euro para valor mais alto da década

| Economia
Porto Canal com Lusa

Bruxelas, 09 nov (Lusa) -- A Comissão Europeia reviu hoje em alta as projeções de crescimento económico da zona euro para 2017, que estima agora que atinja os 2,2%, "o ritmo mais rápido numa década" e significativamente acima das previsões da primavera (1,7%).

Nas previsões económicas de outono hoje divulgadas em Bruxelas, o executivo comunitário melhora também largamente as perspetivas de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do conjunto da União Europeia a 28, esperando um valor de 2,3% para o corrente ano, quando nas previsões da primavera, divulgadas em maio, perspetivava 1,9%.

Bruxelas espera que o crescimento económico mantenha o mesmo ritmo nos próximos dois anos tanto na zona euro como no conjunto da UE, projetando valores de 2,1% para 2018 e de 1,9% em 2019, em ambos os casos, o que representa também uma revisão em alta relativamente às anteriores previsões (na primavera avançava com projeções de crescimento do PIB para o próximo ano de 1,8% na zona euro e de 1,9% na UE).

Num primeiro comentário às previsões de outono, o comissário europeu dos Assuntos Económicos, Pierre Moscovici, apontou que, "após cinco anos de uma retoma moderada, o crescimento europeu entrou numa fase de aceleração", com "boas notícias" em várias frentes -- "o número de empregos aumentou, o investimento subiu e as finanças públicas estão a ser fortalecidas" -, mas advertiu que "o nível elevado da dívida e o fraco crescimento dos salários continuam a ser um problema".

ACC // CSJ

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Francisco Louçã antevê uma nova crise financeira como em 2007

10 anos depois da crise, os desiquilíbros financeiros mantêm-se e o risco de uma nova crise é cada vez mais real. As palavras sao de Francisco Louçã, no livro "Sombras". Na obra, agora lançada, o economista aborda o poder da 'finança-sombra' e os riscos que esta impõe à economia global.

Somague confirma despedimento coletivo de 300 trabalhadores

Lisboa, 21 nov (Lusa) -- A construtura Somague confirmou hoje, à agência Lusa, que vai avançar com um despedimento coletivo de 300 trabalhadores, para tornar a empresa competitiva, motivada pelas dificuldades em Angola e no Brasil, principais mercados internacionais onde opera.

Estado revê em baixa reembolsos antecipados ao FMI previstos até 2019

Lisboa, 21 nov (Lusa) - O Estado reviu em baixa o valor que pretende devolver antecipadamente ao Fundo Monetário Internacional (FMI) em 2018 em cerca de 400 milhões de euros, prevendo-se agora uma devolução de 1.000 milhões.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS