Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Greve dos médicos encerra bloco operatório do hospital de São João, no Porto

| Norte
Porto Canal com Lusa

O bloco operatório do hospital de S. João, no Porto, está encerrado devido à greve dos médicos, que está a ter uma "adesão elevada", disse à agência Lusa Merlinde Madureira, da Federação Nacional dos Médicos (FNAM).

A vice-presidente da FNAM referiu que nas consultas externas do hospital de São João, "mais de metade" dos médicos aderiu ao protesto, assim como no internamento.

Merlinde Madureira disse que "ainda estão a ser recolhidos" os dados nos restantes hospitais e centros de saúde, pelo que "só mais tarde" haverá números concretos em relação à adesão na região Norte.

A greve nacional de médicos foi decretada pelo SIM e pela Federação Nacional de Médicos (FNAM) que dizem ter sido "empurrados para o mais forte grito de protesto", depois de um ano de "reuniões infrutíferas no Ministério da Saúde".

Os sindicatos pretendem uma redução das listas de utentes por médicos de família e uma redução de 18 para 12 horas semanais no serviço de urgência.

É ainda reclamada uma reformulação dos incentivos à fixação em zonas carenciadas, uma revisão da carreira médica e respetivas grelhas salariais e a diminuição da idade da reforma para os médicos, entre outras medidas.

+ notícias: Norte

Autarca de Santa Comba Dão garante que não vai faltar água no concelho

O autarca de Santa Comba Dão garante que a mega operação de transporte de água da Aguieira para Fagilde não vai afetar o concelho, ja que o abastecimento é garantido pelas águas do planalto beirão. O autarca afirma ainda que mesmo que afetasse, todos teriam de ser solidários com os municipios que estão a enfrentar graves problemas de seca.

Sede do Infarmed mudada para o Porto

A sede da autoridade nacional do medicamento (Infarmed) vai ser mudada de Lisboa para o Porto, anunciou hoje o ministro da Saúde.

Ajustes diretos na Universidade do Minho investigados pela Inspeção-Geral da Educação e Ciência

A Universidade do Minho está a ser investigada por alegados ajustes diretos a professores. Em causa estará a aquisição de bens e serviços, sem concurso, a empresas detidas por docentes ou ex-docentes da instituição. A Inspeção-Geral da Educação e Ciência remeteu o caso para o Ministério Público.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS