Info

Empreitadas de obras públicas quase duplicam no 3.º trimestre, o melhor em 25 anos

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 02 nov (Lusa) -- O terceiro trimestre do ano foi o melhor dos últimos 25 no mercado das obras públicas, com um crescimento homólogo de 96% dos concursos de empreitadas promovidos, anunciou hoje a AICCOPN.

Segundo a edição de outubro do Barómetro das Obras Públicas da Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas (AICCOPN), no final do terceiro trimestre, os concursos de empreitadas de obras públicas promovidos situaram-se em 2.311 milhões de euros, mais 96% face ao mesmo período do ano passado.

"Com os anúncios de concursos a atingirem os 831 milhões de euros, este foi o melhor trimestre dos últimos 25, ou seja, desde junho de 2011 que não existia um registo trimestral tão elevado", lê-se no comunicado da associação.

De acordo com a AICCOPN, o total de contratos celebrados e reportados até final de setembro atingiu 1.525 milhões de euros, ou seja, mais 57% que o verificado no ano anterior.

"Considerado apenas o montante registado neste terceiro trimestre, 584 milhões de euros, constata-se que, tal como verificado ao nível dos concursos públicos promovidos, este também é o melhor trimestre desde junho de 2011", sublinha a associação.

Nos primeiros nove meses do ano, os contratos celebrados e reportados no Observatório das Obras Públicas no âmbito de concursos públicos ascendem a 879 milhões de euros, mais 74% em termos homólogos.

Os contratos celebrados em resultado de ajustes diretos ascendem a 562 milhões de euros, um aumento de 44% face ao mesmo período de 2016.

DF // MSF

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Ministro das Infraestruturas afirma que se acordo sobre cargas e descargas "não funcionar o Governo vai ter que intervir"

O ministro das Infraestruturas deixa claro que se o acordo assinado entre Governo, patrões e sindicatos para regular as operações de cargas e descargas não funcionar, o Governo vai mesmo intervir. Pedro Nuno Santos destaca que caso mais grave é o da grande distribuição.

Mais de 100 autarquias vão ter que devolver IMI dos parques eólico e município de Montalgre pede alternativa para cobrir perdas

O presidente da Câmara de Montalegre voltou a lamentar a decisão dos tribunais que consideraram ser cobrança indevida do Imposto Municipal Sobre Imóveis aos parques eólico. A situação vai obrigar as autarquias a devolver o dinheiro até agora recebido o que significa um grande corte no orçamento.

 

Trabalhadores precários manifestaram-se no Porto por aumentos salariais

Esta sexta-feira de manhã houve no Porto um protesto contra a precariedade dos trabalhadores das empresas do comércio que contou com o apoio da CGTP.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.